terça-feira, 14 de julho de 2020

Gramado e Canela consideram "injusta" bandeira vermelha no distanciamento controlado

Apesar de discordar da determinação do governo do Estado, prefeitos garantem que irão cumprir determinações

Gramado está em bandeira vermelha, conforme distanciamento controlado do governo do Estado

Os prefeitos de Gramado, João Alfredo Bertolucci, e Canela, Constantino Orsolin, discordam com o enquadramento em bandeira vermelha para a Região das Hortênsias, mas destacam que irão cumprir as determinações estaduais. Bertolucci considera a classificação de Gramado injusta. 
De acordo com ele, a cidade acabou penalizada sem dar causa direta a essa reclassificação. "Considero imerecida a punição aplicada genericamente, equiparando de modo singelo comportamentos rigorosamente diversos”, avalia o prefeito de Gramado.
O boletim epidemiológico de Gramado registrou nove diagnósticos positivos para Covid-19 no último final de semana. Ao todo, são 116 registros positivos com 28 ativos – 23 em isolamento domiciliar e cinco hospitalizados. Outros 86 são considerados recuperados e dois tiveram óbito.
Na UTI Covid-19 do Hospital São Miguel, nove pacientes estão internados. Dos casos positivos na unidade, quatro são moradores de Gramado e três são oriundos de outras cidades, encaminhados pela Central de Regulação de Leitos do Estado. Na UTI estão, ainda, dois pacientes considerados suspeitos: um morador e um de outra cidade.
Na enfermaria do São Miguel, estão internados cinco pacientes: um caso positivo de Gramado, um caso positivo de outra cidade e três considerados suspeitos, moradores de Gramado. Os casos suspeitos aguardam resultado de exame laboratorial.
Já o prefeito de Canela, Constantino Orsolin, elogia que a mobilização regional para reverter a classificação. Com 73 casos confirmados desde o começo da pandemia e 25 ativos no momento, Canela registrou um óbito e está com seis pacientes internados no HCC. Quatro testaram positivo e dois são tratados como suspeitos. Os demais são pacientes assintomáticos ou com sintomas leves em isolamento domiciliar.
“Tentamos, em conjunto com os demais municípios, que nossas argumentações nos mantivessem na laranja. Respeitamos o critério do Estado e vamos acatá-lo, mas é difícil que todos compreendam isso”, afirma Orsolin.
Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário