sexta-feira, 17 de julho de 2020

A máscara de US$ 1 milhão que pode acabar com a pandemia

NurPhoto / Colaborador/Getty Images
A máscara de US$ 1 milhão que pode acabar com a pandemia 
A XPrize, uma fundação que promove concursos para responder a problemas mundiais, criou uma competição para engajar jovens na busca de soluções para a pandemia do novo coronavírus. O concurso, lançado nesta semana promete pagar 1 milhão de dólares a jovens de 15 a 24 anos que proponham uma máscara facial que caia no gosto do público.
Luchschen/Thinkstock
Estudos não comprovam eficácia da ivermectina contra a covid-19
A ivermectina, usada para tratamento contra parasitas em seres humanos e animais, é tida como a nova medicação que irá curar – ou prevenir – a infecção contra o coronavírus. Mesmo sem nenhum estudo conclusivo comprovando a eficácia do remédio para tratar a covid-19, o Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sincofarma) confirma que houve um aumento das prescrições, mas especialistas alertam para os riscos de uso indevido.
Boris SV/Getty Images
Conheça três invenções no combate à covid-19 em espaços fechados
À espera de uma vacina, a lavagem de mãos, máscaras e distanciamento social são os meios mais eficientes de combater o coronavírus. Mas serão suficientes quando dezenas de milhões retornarem às escolas ou ao local de trabalho? Pesquisadores procuram maneiras de tornar seguros os espaços fechados que gradualmente voltam a reunir pessoas enquanto vacinas e tratamentos contra a covid-19 ainda estão em desenvolvimento.
Dado Ruvic/Reuters
Vacina produzida em Oxford pode dar “proteção dupla” contra o coronavírus
Cientistas da Universidade de Oxford estão empolgados com os testes realizados em humanos com a vacina que está sendo desenvolvida na universidade da Inglaterra. Segundo avaliações mais recentes, a terapia de imunização pode garantir uma “proteção dupla” contra a infecção do novo coronavírus. Conforme reportado pelo Daily Telegraph, a primeira fase de testes com voluntários humanos mostrou que o composto pode gerar uma resposta imune ao corpo. Dessa forma, o organismo é capaz de produzir maior quantidade de anticorpos e também de células-tronco "assassinas", que podem dizimar o vírus.
Robert Bonet/NurPhoto/Getty Images
Imunidade ao coronavírus pode durar anos, diz novo estudo
Uma pesquisa publicada na prestigiosa revista científica Nature na quarta-feira revela que o corpo humano pode ficar protegido contra o novo coronavírus por mais tempo do que se imaginava. Nas últimas semanas, uma série de estudos mostrou que a imunização contra a covid-19 pode ser curta, com a carga de anticorpos desaparecendo após algumas semanas. Seria um desafio adicional para as vacinas que estão em testes mundo afora, inclusive no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário