terça-feira, 16 de junho de 2020

Três são presos em ação contra pornografia infantil e abuso sexual de crianças e adolescentes

Ordens judiciais foram cumpridas em Porto Alegre, Canoas, Cachoeirinha e Viamão, sendo efetuadas três prisões

Profissionais do Centro de Referência em Atendimento Infantil (CRAI), do Instituto-Geral de Perícias, acompanharam operação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira a quinta fase da Operação Jizô para reprimir crimes de divulgação de pornografia infantil pela internet e o abuso sexual de crianças e adolescentes. Houve o cumprimento de seis mandados de busca e apreensão em Porto Alegre, Canoas, Cachoeirinha e Viamão. Três homens foram presos em flagrante por armazenamento de material com conteúdo pornográfico infantil. Um deles também foi flagrado também pela produção de imagens com conteúdo pornográfico infantil. Nas buscas, os policiais federais apreenderam celulares, mídias e computadores que serão periciados no prosseguimento das investigações.
Em Canoas, um mandado de busca e apreensão teve flagrante por armazenamento de material de pornografia infantojuvenil, sendo preso um comerciante de 29 anos. Ainda na cidade, outros dois mandados de busca e apreensão com resgate de uma possível vítima de abuso sexual infantil, hoje maior de idade, foram cumpridos. Um motorista de 45 anos é investigado e já responde a inquérito anterior por compartilhamento de material de pornografia infantojuvenil em grupos de WhatsApp nacionais e internacionais.
Em Viamão, os policiais federais executaram um mandado de busca e apreensão com flagrante por armazenamento e produção de material de pornografia infantojuvenil, além de resgate de uma possível vítima de abuso sexual e possibilidade de outra vítima. Um vigilante de 43 anos foi detido.
Já em Porto Alegre, os agentes prenderam um metalúrgico de 34 anos durante cumprimento de mandado de busca e apreensão devido ao flagrante por armazenamento de material de pornografia infantojuvenil. Em Cachoeirinha, porém, não houve apreensão de material.
A operação foi acompanhada dos profissionais do Centro de Referência em Atendimento Infantil (CRAI), instituição mantida pelo Instituto-Geral de Perícias, pela Secretaria de Segurança Pública e pela Prefeitura de Porto Alegre para atendimento a crianças vítimas de violência. Em um dos locais alvos da ação foi detectado, através de entrevistas, o possível abuso sexual de três menores na moradia.
A participação de equipes do CRAIS, durante cumprimento de mandados de busca em investigações de combate à pornografia infantil, foi uma inovação implementada pela Operação Jizô V, no âmbito da Polícia Federal em todo o Brasil. A iniciativa visa identificar possíveis vítimas de abuso sexual infantil, com resgate e o acolhimento delas.
A mobilização tem por base cinco inquéritos instaurados pela Polícia Federal com base em denúncias e informações recebidas de organismos internacionais pela Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil da Polícia Federal em Brasília.
Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário