quinta-feira, 8 de dezembro de 2022

LICENÇA PARA GASTAR E PARA EMPLACAR A DITADURA

 LICENÇAS

Da mesma forma como -James Bond- o mais conhecido Agente secreto 007, do SIS (Secret Intelligence Service), foi criado pelo escritor e jornalista inglês -Ian Fleming- e como tal lhe foi concedida uma -LICENÇA PARA MATAR-, ontem, a maioria dos senadores do nosso empobrecido Brasil, ao aprovarem DUAS CATASTRÓFICAS PECS (Projetos de Emenda Constitucional), resolveram conceder, de mão beijada, ao próximo governante, 1- LICENÇA PARA GASTAR; e, 2- LICENÇA PARA EMPLACAR, de forma legal, a DITADURA BRASILEIRA. 

CAMINHO LIVRE

Sei, perfeitamente, que os meus alertas têm alcance muito reduzido. Ainda assim, não foram poucas as vezes que escrevi informando que enquanto o povo achou por bem se reunir, e lá permanecer, em frente aos mais diversos quartéis espalhados pelo nosso imenso Brasil, a Câmara e o Senado ganharam CAMINHO LIVRE para detonar, com enorme prazer, com o pobre povo brasileiro, como se viu ontem através da postura da maioria dos senadores. Como bem refere o pensador Paulo Uebel, - o PT deve estar adorando. Enquanto muita gente está na porta dos quartéis, o Senado passa um rombo no teto de mais de R$ 145 bilhões, por 2 anos. Quando se derem conta, vai ser tarde. A pressão popular só faz diferença para quem depende de voto.

LICENÇA PARA GASTAR

No que diz respeito à LICENÇA PARA GASTAR,  os senadores rejeitaram os 3 destaques que poderiam alterar o texto da PEC que FURA O TETO DOS GASTOS, com impacto fiscal de mais de R$ 200 bilhões. Com isso, os LULISTAS (que mais do que ninguém adoram DESPESAS), tiveram 55 dos 81 votos possíveis. O destaque do senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) propunha diminuir a folga de R$ 145 bilhões no teto de gastos por 2 anos para R$ 100 bilhões em 2023. A mudança precisava de 49 votos favoráveis para ser aprovada pelo plenário. Foram 27 a favor e 50 contrários. Que tal?

REJEIÇÕES

Ao todo, a PEC recebeu 12 emendas de plenário que não alcançaram o número de assinaturas necessárias para deliberação dos senadores. O destaque do Podemos, para REDUZIR O FURO no teto para R$ 100 bilhões, a vigência para 1 ano e o prazo para o envio do novo regime fiscal para junho de 2023 foi rejeitado por 50 a 27;  e o destaque do PP para REDUZIR A 1 ANO A VIGÊNCIA DO FURO NO TETO DE R$ 145 BILHÕES , também foi rejeitado por 55 a 23.

UM VIVA À DITADURA

Quanto a LICENÇA PARA EMPLACAR A DITADURA NO BRASIL,  o senador Renan Calheiros conseguiu a adesão de colegas para a PEC que amplia o PODER DO STF em infrações contra o Estado Democrático (?) de Direito, destinando à Suprema Corte a atribuição exclusiva de julgar atos contra a DEMOCRACIA. A proposta obteve a assinatura de 31 senadores, quatro a mais que o mínimo necessário. O pacote também contém um projeto que veda a indicação de militares, da ativa ou da reserva, para chefiar o Ministério da Defesa. E outra proposta acrescenta “a participação de agente público em manifestações de caráter político-partidário, ostentando a condição de seu cargo” ao CRIME DE ABUSO DE AUTORIDADE. Trata-se de um sonoro VIVA À DITADURA!

PRIME NEWS



TAXA SELIC



O Copom do Banco Central decidiu pela manutenção da taxa básica de juros, a Selic, em 13,75% ao ano. O Comitê justifica sua decisão, que foi unânime entre os membros presentes na reunião, citando “incerteza sobre o futuro do arcabouço fiscal do país e estímulos fiscais adicionais que impliquem sustentação da demanda agregada, parcialmente incorporados nas expectativas de inflação e nos preços de ativos”.


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário