terça-feira, 8 de novembro de 2022

Empresário próximo de Putin admite 'interferência' em eleições dos Estados Unidos

 

Yevgeny Prigozhin afirmou que continuará a manipular pleitos no país de acordo com os interesses e 'de forma precisa'

Empresário Yevgeny Prigozhin em sede do grupo paramilitar Wagner, na Rússia

IGOR RUSSAK/REUTERS - 4.11.2022

Um empresário russo próximo ao Kremlin, Yevgeny Prigozhin, admitiu nesta segunda-feira (7) "interferências" nas eleições americanas, às vésperas da votação de meio de mandato nos Estados Unidos, onde Moscou há anos é acusado de ingerência.

"Nós interferimos e continuaremos a fazê-lo. Com precaução, precisão, de forma cirúrgica, de uma maneira que nos é única", declarou Prigozhin, citado em um post nas redes sociais da empresa que comanda, a Concord.

A declaração foi uma resposta a uma pergunta sobre alegações de interferência russa nas eleições de meio de mandato nos Estados Unidos de terça-feira (8), acompanhadas de perto em Moscou em meio à crise com Washington desde o início da ofensiva na Ucrânia.

Prigozhin, alvo de sanções dos Estados Unidos, é acusado há muitos anos de interferência nas eleições americanas, incluindo as presidenciais de 2016.

O empresário é acusado por ter criado uma "fazenda de trolls", ou seja, perfis falsos nas redes sociais para tentar influenciar os eleitores, abalar a reputação de candidatos ou transmitir informações falsas.

AFP e R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário