sexta-feira, 11 de novembro de 2022

Após Meta realizar mais de 11 mil demissões, ex-funcionária brasileira rompe silêncio: “Ainda sem chão”

 O anúncio, feito pelo CEO Mark Zuckerberg através de um comunicado por e-mail, pegou inúmeros colaboradores de surpresa

Meta, de Mark Zuckerberg, demitiu mais de 11 mil funcionários nesta última semana. Até o final de setembro, a empresa tinha pouco mais de 87 mil colaboradores, mas precisou realizar um enorme corte após enfrentar uma crise financeira. O bilionário, dono de FacebookWhatsApp e Instagram, pediu desculpas por acreditar em um cenário de crescimento após a pandemia.

 

“No início da Covid, o mundo rapidamente se moveu para o online e a onda de comércio eletrônico levou a um crescimento de receita. Muitas pessoas previram que esta seria uma aceleração permanente e que continuaria mesmo após o término da pandemia. Eu também. Então, tomei a decisão de aumentar significativamente nossos investimentos”, explicou o CEO.


Ex-funcionários lamentam decisão

A brasileira Gabriela Morais, através de um post no LinkedIn, lamentou a saída e disse estar “sem chão” após o comunicado: “Ainda sem chão para acreditar no e-mail que recebi hoje pela manhã. Prestes a completar 1 ano e 5 meses de Meta fiquei sabendo que estava sendo desligada da companhia. Confesso que estou em estado de choque, a ficha sequer caiu”, escreveu.

Para se ter uma ideia, o lucro da Meta caiu pela metade no terceiro trimestre - ficou em US$ 4,4 bilhões, queda de 52% em relação ao mesmo período de 2021: “Sou uma das 11 mil pessoas que foram desligadas hoje do Facebook. Quem me conhece sabe o quanto fui feliz e me dediquei durante esses quase 8 anos que trabalhei lá”, publicou a também brasileira Silvia Ramazzotti.


MSN Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário