quinta-feira, 21 de julho de 2022

Justiça transforma em réu policial penal que matou tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu (PR)

 Ministério Público denunciou Jorge Guaranho por homicídio duplamente qualificado, quando há situações que agravam o crime



O policial penal Jorge Guaranho, suspeito de atirar e matar o guarda municipal Marcelo Arruda em Foz do Iguaçu (PR), se tornou réu nesta quarta-feira por homicídio duplamente qualificado. A Justiça do Paraná aceitou a denúncia do MP (Ministério Público) do estado. O crime ocorreu no contexto de uma festa de aniversário de Arruda, que era tesoureiro do PT na cidada paranaense.

O tema da festa do petista era o próprio partido político e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mais cedo, os promotores explicaram que a morte de Marcelo Arruda aconteceu após uma discussão política com Guaranho. Porém, para o MP, não se tratou de um crime político.

Motivo fútil e perigo comum

As duas qualificadoras do crime de Guaranho, segundo o MP, foram motivo fútil e perigo comum. Na noite do crime, de acordo com o promotor Luís Marcelo Mafra, o suspeito agiu por questões políticas.

“Estamos tratando da primeira qualificadora desse crime, que seria o motivo fútil, havendo a querela sido desencadeada por preferências político-partidárias antagônicas”, afirmou.

A segunda qualificadora se deu, segundo os promotores, pelo fato de Guaranho apresentar perigo aos outros presentes na festa de aniversário de Arruda. O outro promotor do caso, Tiago Lisboa, "a Constituição não define o que é crime político. E a lei infraconstitucional brasileira também não define o que é crime político".

Futuro do suspeito

Jorge Guaranho deixou a UTI (Unidade de Terapia Intensiva), mas permanece internado em um hospital de Foz do Iguaçu. Neste momento, o suspeito de matar o tesoureiro do PT está em um quarto da enfermaria. O estado de saúde de é estável e não há risco de morrer.

O promotor de Justiça Tiago Lisboa explicou que Guaranho está preso e sob escolta dentro da unidade de saúde. "Ele se encontra preso preventivamente, ainda que hospitalizado. Existe uma guarda da polícia lá. Tão logo ele tenha condição e receba alta, ele vai ser encaminhado ao cárcere", explicou. Jorge Guaranho pode pegar mais de 20 anos de cadeia se for condenado pelo crime.

R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário