sábado, 4 de junho de 2022

Dois jornalistas da agência Reuters ficam levemente feridos na Ucrânia; motorista foi morto

 Profissionais estavam viajando em um veículo fornecido pelos separatistas apoiados pela Rússia



Dois jornalistas que trabalham para a agência internacional de notícias Reuters ficaram levemente feridos e seu motorista morreu no leste da Ucrânia, informou a agência nesta sexta-feira. "Durante uma reportagem, dois jornalistas da Reuters sofreram ferimentos leves quando foram atacados a caminho de Severodonetsk", informou a agência em comunicado.

"Eles estavam viajando em um veículo fornecido pelos separatistas apoiados pela Rússia e conduzido por um indivíduo designado" por eles, que foi morto no ataque, explicou. A agência não forneceu detalhes sobre suas identidades, estado de saúde ou circunstâncias do ataque.

Na segunda-feira, Frederic Leclerc-Imhoff, jornalista que trabalhava para o canal francês BFMTV, foi morto no leste da Ucrânia por estilhaços durante um bombardeio durante uma operação humanitária. O repórter estava perto de Severodonestk, bombardeada pelas tropas russas e onde segundo Kiev, "os combates continuam no centro da cidade".

A ministra das Relações Exteriores da França, Catherine Colonna, disse no Twitter que o repórter de 32 anos "foi morto em um bombardeio russo". Desde o início da invasão russa da Ucrânia, pelo menos oito jornalistas morreram no terreno durante o seu trabalho, segundo uma contagem da ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF).

"Os jornalistas que trabalham todos os dias na Ucrânia para nos informarem sobre a realidade da guerra devem ser protegidos dos ataques", destacou na segunda-feira a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay. Azoulay pediu às partes em conflito que respeitem uma resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre a proteção dos profissionais de imprensa nas áreas de conflito.

AFP e Correio do Povo


Cruzeiro vence o Operário e dispara na liderança da Série B

Nenhum comentário:

Postar um comentário