segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

LUTA DESIGUAL - Gilberto Simões Pires

 GRUPOS DE OPOSIÇÃO

Desde o dia 28 de outubro de 2018, quando, em segundo turno, Jair Bolsonaro foi eleito, com 55% dos votos, como o 38º presidente do Brasil, o que mais se viu por todos os cantos do nosso país foi um forte engajamento dos mais variados GRUPOS DE OPOSIÇÃO, todos voltados, de forma unida, uníssona e organizada, com dois claros propósitos:


1- Desbancar o quanto antes o presidente eleito, fazendo valer, dia sim dia também, a ideia de que Bolsonaro é antidemocrático e negacionista; e,


2- Independente da possibilidade ou não da ocorrência do pretendido -impedimento- a ordem geral é não dar a mínima chance para uma reeleição de Bolsonaro em 2022.  


LISTA ENORME

A organização dos GRUPOS DE OPOSIÇÃO, como se vê, com total nitidez, já é considerada como algo inédito na história do nosso país. Vejam, por exemplo, que na enorme lista das organizações que, por vários motivos, querem ver o presidente Jair Bolsonaro pelas costas, estão: BANQUEIROS (leia-se Febraban), MÍDIA (leia-se a turma do Consórcio), EMPREITEIROS (leia-se envolvidos na Lava-Jato), ADVOGADOS (leia-se a turma que esteve presente no jantar oferecido ao Lula), ARTISTAS (leia-se os descontentes com as alterações da Lei Rouanet), ONGS, UNIVERSIDADES, SINDICATOS, PARTIDOS POLÍTICOS DE ESQUERDA, FUNDAÇÕES, MOVIMENTOS SOCIAIS, STF, MINISTÉRIO PÚBLICO, INÚMEROS GOVERNDORES E PREFEITOS, etc. 


GOVERNO DE RESULTADOS -POSITIVOS-

Dentre os motivos do forte engajamento, o maior deles diz respeito, obviamente, à brusca SECAGEM DAS TETAS DO GOVERNO, que Bolsonaro colocou em prática já nos primeiros dias de seu mandato. E, para deixar ainda mais contrariados e revoltados os participantes dos GRUPOS DE OPOSIÇÃO, o Ministério da Infraestrutura, sob a batuta do competente ministro Tarcísio de Freitas, resolveu mostrar ao mundo todo que este é um GOVERNO DE RESULTADOS -POSITIVOS-. Os números aí estão para não deixar a mínima dúvida: desde 2019 foram realizados 79 leilões. Só no ano passado, 2021, foram 39 leilões - 22 aeroportos, 13 portos, 3 rodovias e 1 ferrovia. E para este ano, 2022, estão programados mais 50 leilões, com estimativa de R$ 165 bilhões em investimentos. Com isso o Brasil terá a infraestrutura mais privada do mundo. Que tal? 


CARTILHA SOCIALISTA

Pois, mesmo diante desta inusitada frente formada por OPOSITORES, cujas CAUSAS, além de nojentas são bastante conhecidas, dos candidatos que, até o presente momento, se declaram dispostos a concorrer à presidente do Brasil, nenhum (de novo: nenhum) consegue mostrar que é melhor do que Bolsonaro. Aliás, para ser bem claro, todos estão flagrantemente identificados com o Basil do atraso, sendo que boa parte não esconde que é adepta da CARTILHA SOCIALISTA.


EFEITO COMPARATIVO

Portanto, diante de tantos maus candidatos, até aqueles que por um ou mais motivos não gostam de Bolsonaro, o fato é que, pelo efeito comparativo, o atual presidente leva enorme vantagem sobre os demais. A rigor, é o único que dedica esforços para que o Brasil entre no rol dos países que defendem a LIBERDADE ECONÔMICA E SOCIAL.


MAU EXEMPLO CIRO

A propósito da má qualidade dos candidatos, observem o MAU EXEMPLO CIRO GOMES, do PDT. Ciro diz que gastamos R$ 3 trilhões em juros. Estupidamente, sem ser contrariado pelo jornalista que o entrevistou, o péssimo candidato incluiu nos juros pagos as rolagens de títulos vencidos. Pode? Mais: também não sabe que em 2020 a conta dos juros foi de R$ 312 bilhões. Com este currículo, o presidenciável não tem condições nem para ser cortador de cana no seu estado.


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário