quarta-feira, 21 de julho de 2021

Bolsonaro diz que o Bolsa Família deve subir para 300 reais

 


O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o novo Bolsa Família – ainda sendo formulado pela equipe econômica – terá valor médio mínimo de R$ 300 e deverá ficar pronto em novembro, depois do fim das parcelas do auxílio emergencial.

“Pretendemos em novembro já ter o novo Bolsa Família. O valor será no mínimo de R$ 300. Hoje em dia, a média do Bolsa Família equivale a R$ 192. Vamos passar isso para R$ 300. É um pouco mais de 50% de reajuste”, afirmou em entrevista à TV Brasil.

O presidente já havia afirmado no meio de junho que o programa social seria reformulado, estipulando o valor em R$ 300. À época, a declaração de Bolsonaro agitou a equipe econômica do governo, que previa a possibilidade de aumentar o programa para, em média, R$ 250. Segundo o jornal o Estado de S. Paulo, o valor poderia estourar o teto de gastos previsto para 2022.

Fundão eleitoral

Bolsonato também afirmou que não irá sancionar o o Fundo Eleitoral de R$ 5,7 bilhões aprovado pelo Congresso na última semana.

“O valor é astronômico. Mais R$ 6 bilhões para fazer campanha eleitoral. Imagina nas mãos do ministro Tarcísio [de Freitas, da Infraestrutura] o que poderia ser feito com esse dinheiro”, disse.

“Nem tudo que eu apresento é aprovado, nem tudo que é aprovado pelo Legislativo eu tenho obrigação de aceitar. Mas a tendência nossa é não sancionar em respeito ao trabalhador e ao contribuinte”, completou.

Saúde

O presidente afirmou que a cloroquina foi responsável pela sua cura da covid-19 e afirmou que algumas vacinas, “dependendo do tipo”, não protegem contra a doença.

“Afinal de contas, a vacina tem dado mostras, em alguns lugares do mundo –dependendo do tipo de vacina – que ela não te protege. […] A questão do tratamento precoce, do tratamento inicial, você tem que procurar alternativas”, disse.

Mesmo levantando dúvidas sobre a eficácia dos imunizantes, o presidente disse “pedir a Deus” que o programa de vacinação no País dê certo. Segundo Bolsonaro, o País não deve “focar apenas na vacina”.

Auxílio emergencial

Bolsonaro falou nesta terça (20) sobre o impacto do auxílio emergencial durante o período da pandemia de covid-19. Segundo Bolsonaro, iniciativas como o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) e a colaboração do Congresso Nacional nas ações de enfrentamento à pandemia foram importantes para a evolução dos índices econômicos e de emprego em 2021.

“Terminamos em 2019 com índices bastante animadores. Lamentavelmente tivemos a pandemia em 2020, que persiste até hoje. A pandemia fez com que a gente botasse muitas propostas de governo para depois. Mas nos dedicamos, e muito, pela manutenção de empregos”, informou.

O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário