quinta-feira, 15 de julho de 2021

20% da população gaúcha já recebeu as doses necessárias para imunização contra o coronavírus

 


Nesta terça-feira (13), o percentual de pessoas residentes no Rio Grande do Sul com esquema vacinal contra o coronavírus completo ultrapassou os 20%. Segundo dados divulgados pela Secretaria da Saúde, o índice exato é de 20,4%. Isso significa que essa parcela da população já recebeu as doses necessárias para ficarem imunes ao vírus, que já vitimou mais de 32 mil pessoas no território gaúcho.

Levando em conta apenas a população vacinável, o percentual de imunizados sobe para 25,9%. Entre os residentes que receberam apenas a primeira dose, o índice é de quase 50% (49,8%), enquanto 63,3% da categoria dos vacináveis já foram contemplados com ao menos uma dose.

Distribuição

A Secretaria da Saúde (SES) irá distribuir 308.575 doses da vacina AstraZeneca às 18 Coordenadorias Regionais de Saúde (CRSs) a partir das 10h desta quarta-feira (14). As doses serão utilizadas para a aplicação da segunda dose de quem já recebeu a primeira há, no mínimo, dez semanas, de acordo com a resolução pactuada entre Estado e municípios de adiantar o prazo de aplicação entre doses deste fabricante e da Pfizer.

No total, a SES tem 687.105 doses da AstraZeneca reservadas na Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi), em Porto Alegre, para dose 2 (D2). As demais doses serão distribuídas mais perto da data de conclusão do intervalo do próximo lote, que fecha em 23 de julho.

Na próxima remessa de vacinas AstraZeneca que chegar ao Estado, ainda ficarão reservadas 77.530 para atingir o quantitativo de imunizantes para D2 que vencem no próximo dia 23.

Quanto a Pfizer, até o início de agosto não há intervalo entre doses fechando 10 semanas. Na próxima remessa que chegar ao Estado, deverão ficar reservadas 108.930 doses deste fabricante.

A organização da aplicação das segundas doses, assim como das primeiras, é de responsabilidade dos municípios, que podem escolher a melhor estratégia para atingir o público-alvo em cada situação.

De acordo com a secretária da Saúde, Arita Bergmann, o adiantamento do intervalo entre doses da AstraZeneca e da Pfizer (de 12 para 10 semanas) não prejudicará o calendário vacinal estabelecido pelo governo do Estado. A previsão de vacinar 100% da população maior de 18 anos com pelo menos uma dose de vacina contra a covid-19 é 20 de setembro.

O objetivo da redução do intervalo é garantir melhor resposta imune para a variante Delta, uma vez que foram detectados dois casos suspeitos desta cepa no Estado. As amostras foram enviadas para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, e os resultados devem sair até esta sexta-feira (16). Apenas uma dose da vacina é pouco efetiva para combater essa variante.

O Sul


Conselho de Ética da Câmara abre processos contra os deputados Ricardo Barros, Luis Miranda e Diego Garcia



Nenhum comentário:

Postar um comentário