terça-feira, 22 de dezembro de 2020

Morre Chico Tasca, um dos sócios da Churrascaria Barranco, em Porto Alegre

 Ele jantava com um dos filhos quando teve um mal estar

Sócio proprietário da Churrascaria Barranco, uma das mais tradicionais de Porto Alegre, Ilmar José Tasca, 59 anos, faleceu na madrugada dessa segunda-feira. Chico Tasca, como era conhecido, jantava com um dos filhos, Rodrigo, quando teve um mal estar. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionada, mas o empresário faleceu no local, com suspeita de infarto. Uma autópsia confirmará a causa da morte.

Criado em 1969, estabelecimento famoso por receber políticos, empreendedores e jornalistas, o Barranco está localizado “subindo e descendo a Protásio”, como dizia slogan, se referindo à avenida no bairro Alto Petrópolis. Tasca dividia a sociedade com o amigo de longa data - e, hoje, inconsolável - Elson Furini e ambos fizeram do lugar um dos pontos de encontros mais reconhecidos da cidade, desde o mais informal “choppinho” até comemorações regadas a churrasco à la carte, pratos quentes e frios. A última aparição de Tasca no Correio do Povo foi em outubro deste ano, quando o Barranco recebeu o vice-presidente Hamilton Mourão na Capital.

O Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região (Sindha) lamentou o falecimento em suas redes sociais. “Chico era uma pessoa ímpar, de cordialidade, dedicação e talento incomparáveis, e sua história estará para sempre associada à boa gastronomia de Porto Alegre”. O deputado estadual Tiago Simon (MDB) considerou a partida do empresário “uma perda irreparável para todos nós. Nossos sentimentos à família e amigos e nosso desejo de fé no amor de Deus para superar este momento tão difícil”.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-RS) divulgou nota de pesar. “Uma pessoa incrível e que deixará grandes saudades em todos os profissionais do segmento e tiveram a oportunidade de desfrutar de sua agradável companhia. À frente de um dos restaurantes mais conhecidos de Porto Alegre, Chico Tasca demonstrou na prática o que é o empenho e valorização da gastronomia na Capital do RS”. A Associação Brasileira de Angus também se pronunciou, denominando o Barranco como “um dos mais respeitados restaurantes dos porto-alegrenses e com visitantes de diversas partes do Brasil e do mundo”.

O empresário era constantemente visto entre as mesas, confraternizando com os clientes. Horas antes de falecer, Tasca fazia uma das coisas que mais gostava: cuidar do Barranco, lugar onde trabalhava a até tarde, algo que se repetiu no último domingo. Nesta segunda-feira, o local que amava tanto não abriu as portas por motivo de luto. Ele deixa a mulher, Márcia, e dois filhos, Rodrigo, de 37 anos, e Vicenzo, 17.



Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário