domingo, 20 de dezembro de 2020

Com gol de pênalti de Pepê, Grêmio consegue empate contra o Sport, em Recife

 Tricolor fez partida burocrática e aquém do potencial, mas garantiu um ponto com resultado de 1 a 1



A torcida bem que esperava que o Grêmio fosse virar a chave após a eliminação traumática para o Santos na Libertadores. Os gremistas, porém, se decepcionaram. O Tricolor ainda mostrou resquícios da apatia que dominou o grupo no mata-mata durante a semana. Na noite deste sábado, o time fez uma partida burocrática, sem engenhosidade, mas conseguiu um empate com o Sport, na Ilha do Retiro. O 1 a 1 contra o Leão veio com gols de Dalberto, pelos mandantes, aos 9 minutos do primeiro tempo, e o artilheiro Pepê. De pênalti, marcado graças ao VAR, o camisa 25 anotou no segundo tempo.

O primeiro tempo da equipe de Renato Portaluppi foi uma extensão da partida da última quarta-feira, pela Libertadores. Sem criação, o time demorava na tomada de decisão e não conseguia acelerar para encontrar uma linha mais desconstruída na defesa dos mandantes. Dava espaço aos adversários, que abriu o marcador, cedo, aos nove minutos, em um contra-ataque de velocidade. Burocrático, não foi efetivo para empatar.

Na metade complementar, o Tricolor continuou aquém do esperado, mas teve melhora. A expulsão de Kannemann quase resultou numa ampliação do placar, mas as mudanças promovidades deram cara nova e mais mobilidade. E foi o Grêmio quem chegou ao segundo gol da partida. De pênalti, Pepê empatou para garantir um ponto na bagagem de volta a Porto Alegre.

Com o resultado, o time fica com 42 pontos. O próximo compromisso do clube pelo Brasileirão é no dia 27 de dezembro, contra o Atlético Goianiense, na Arena, às 20h30min. Antes, contudo, tem na agenda o primeiro jogo da semifinal da Copa do Brasil, também em casa. Na quarta, a partir das 21h30min, enfrenta o São Paulo. 


Primeiro tempo apático e sem criatividade

O Tricolor começou com maior posse de bola, mas sem conseguir explorar o meio de campo ou levar perigo ao gol de Luan Polli. Com a armação centralizada em Jean Pyerre, sem aproximação de Lucas Silva, o Grêmio apostava nas construções pelas laterais. Pela esquerda, Pepê. Pela direita, Ferreira, que ganhou chance na equipe. O garoto tentava adentrar na área nas jogadas individuais e até conseguiu três escanteios, cobrados sem altura suficiente para qualquer jogada pelo alto.

Foi no rebote de uma das cobranças que o Leão abriu o marcador, aproveitando-se da desatenção. Aos oito minutos, Cortez perdeu a bola, e o Leão conseguiu o contra-ataque em velocidade. A bola sobrou para Lucas Mugni, que entrou sozinho na área. Sem dificuldades, após escorou para Dalberto, que chutou em direção ao gol. Vanderlei ainda tentou fechar o ângulo, mas a bola rolou devagarinho, atravessando a linha branca.

Mesmo com a desvantagem no placar, o Grêmio abusava dos erros de passe e falta de criatividade. Sem conseguir articular, a estratégia era "chuveirinho" na área adversária. Na melhor chance, aos 15, Ferreira lançou alto demais, a bola sobrou para Jean Pyerre, que buscou Cortez. Desatento, o lateral dividiu e quase perdeu. Conseguiu o toque para a pequena área, mas a zaga afastou antes de Churín conseguir o chute.

A lentidão e a dificuldade de reposição gremista faziam de nada valer a posse de bola e possibilitavam aos mandantes puxar contra-ataques com bolas longas. Em um lance, após saída pela direita, Thiago Neves ficou com a bola na entrada da área e tenta o drible, mas parou na marcação de Rodrigues.

No final da parcial, Churín teve a chance de empatar após cruzamento de Cortez. O argentino pulou mais alto que o marcador, mas cabeceou para fora, rente à trave. A falta de cadência do time era evidente, e as jogadas, como costuma-se dizer, telegrafadas. E isso fez com que a partida virasse com o Tricolor em desvantagem no marcador.

Desvantagem numérica, mas maior disposição

O segundo tempo começou com o Sport adiantando a marcação para tirar espaços. E a tática quase rendeu frutos. Na velocidade, Patric recebeu e fez o cruzamento rasteiro. Kannemann consegui o corte para escanteio. Thiago Neves cobra fechado na pequena área para Maidana desvia de cabeça para Mugni. O meia tentou se esticar, mas não encontrou nada.

A situação piorou quando Kannemann foi expulso após levar o segundo cartão amarelo por falta em Marcão. De imediato, o rubro-negro teve chance com Dalberto, que, de dentro da área, chutou para fora. As 11, mais uma vez o Leão chegou sem dificuldades em tabela de Mugni com Thiago Neves, que tento chute da entrada da área, finalizando cruzado demais.

Com a desvantagem, o técnico Renato Portaluppi precisou mudar. Tirou Lucas Silva para colocar Geromel e reforçar a área. Ferreira, que tinha participação impositiva pela direita, deu lugar a Luiz Fernando. Sem muito efeito, o treinador também lançou Thaciano no lugar de Jean Pyerre. Aos 23 minutos, Churín foi derrubado por Marcão na área, e o argentino fica caído em campo. O árbitro mandou seguir, mas foi chamado pelo VAR para a revisão.

Depois de consultar o monitor, marcou penalidade para o Tricolor. Pepê cobrou no canto direito, sem chances para o goleiro, que caiu para a esquerda. Tudo igual na Ilha do Retiro. Com o tento, o time mostrou mais proposição e Renato fez mudanças, colocando Thaciano na vaga de Churín para dar mais mobilidade à equipe, que continuava com mais posse. Na dicotomia cautela x coragem, a equipe mostrou bom controle do jogo. Nos minutos finais, e nos seis de acréscimo, os gaúchos tiveram equilíbrio para segurar a bola e o resultado.

Campeonato Brasileiro - 26ª rodada

Sport 1
Luan Polli; Patric, Maidana, Adryelson, Tavares; Marcão (Mikael), Ronaldo Henrique (Betinho), Lucas Mugni (Ricardinho), Tiago Neves; Marquinhos (Raul Prata); Dalberto.
Técnico: Jair Ventura

Grêmio 1
Vanderlei; Victor Ferraz, Rodrigues, Kannemann, Cortez; Lucas Silva (Geromel), Matheus Henrique, Jean Pyerre (Thaciano); Pepê, Ferreira (Luiz Fernando); Diego Churín (Darlan).
Técnico: Renato Portaluppi

Gols: Dalberto (9"/1ºT); Pepê (23"/2ºT)
Cartões amarelos: Marquinhos, Thiago Neves (SPO); Kannemann, Pepê (GRE)
Cartão vermelho: Kannemann (GRE)
Arbitragem: José Mendonça da Silva Junior
Local: Ilha do Retiro, em Recife


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário