domingo, 5 de julho de 2020

A cobrança absurda sobre Leite e Marchezan

Jessé Sangalli
Já que os jornais estão idolatrando esses dois nos últimos meses, por causa do gasto milionário com DINHEIRO PÚBLICO EM PUBLICIDADE, eu me obrigo a dizer: eles fecharam a economia e quebraram empresas enquanto ainda era possível retardar a contaminação apenas com medidas de higiene e de proteção individual e coletiva. O plano de contenção veio 3 meses atrasado e, mesmo com tanto atraso, foi elaborado de forma medíocre.
Acharam que Rio Grande do Sul era Europa. Se esqueceram de que estávamos no verão e se esqueceram de que os brasileiros não tem "gordura" financeira sobrando que nem os europeus.
Acabaram com a renda/emprego/sanidade mental de um povo já sofrido enquanto ainda era calor e enquanto as pessoas podiam trabalhar e estudar sem tanto risco de doenças respiratórias, que já surgem anualmente em decorrência do frio (em condições normais). Agora, empurraram o pico da contaminação para o momento mais crítico do inverno (de julho até o fim de agosto).
Começaram a querer "Lockdown" precocemente, e, agora que a situação ficou realmente crítica, a população está empobrecida e sem condições de ficar ainda mais meses sem renda, já que a maioria das pessoas/empresas já está quebrada em função do fechamento precipitado, feito de maneira inconsequente e amadora.
Eu imagino o sofrimento dos heróis que são forçados a cumprir mil e uma novas normas e obrigações, investir em higienização, em termômetros a laser, e mais um monte de quinquilharias só para, da noite para o dia, sem nenhuma segurança jurídica, mandar ser fechado de novo com o dobro dos prejuízos. Dói demais em mim, imagina neles.
E, ainda assim, esses políticos são idolatrados pela RBS, pela GaúchaZH e por outros que trabalham de casa ganhando ainda mais dinheiro que antes por causa do aumento do Ibope e de pessoas em casa vendo TV. Essas mídias que criticam muito mais fortemente quem sai para correr e pegar um pouco de vitamina D do sol do que toda a classe política que não abriu mão de 1 centavo de seus salários e benefícios para ajudar os milhões que eles desempregaram e os bilhões de arrecadação que serão perdidos por suas megalomanias.
Lucram em cima da miséria alheia, miséria do pequeno trabalhador e do pequeno negócio que são estigmatizados e criminalizados por simplesmente querer poder ter a liberdade de trabalhar e por o pão na mesa. O serviço que põe o pão na mesa de casa é um serviço essencial, não importa se do alto da torre de marfim eles dizem que não é; para aquele trabalhador, não há nada mais essencial do que aquilo de onde ele tira o sustento.
Não há nada mais essencial do que liberdade para trabalhar e ter o que comer e como pagar suas contas!
Infelizmente, prefeito e governador, RS não é Europa, os leitos necessários não foram criados e o gaúcho médio não tem forças para continuar da maneira que está.



Fonte: https://www.facebook.com/groups/232087851221941/permalink/267197621044297/

Nenhum comentário:

Postar um comentário