quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

OS CÃES LATIRAM, LULA FOI SOLTO....E NADA !!!

A polêmica soltura do ex-Presidente Lula , pelos seus “supremos” capachos , Ministros do STF, serviu antes de qualquer coisa para que se demonstrasse no mundo real a sabedoria e a verdade contida na expressão popular: “cão que late, não morde”.

Não foram poucas as insinuações e “avisos” de gente “importante”, inclusive militares, até publicados na imprensa , que uma eventual soltura de Lula poderia ocasionar uma ruptura institucional sem precedentes, ou seja, que o “mundo cairia” sobre a cabeça dos responsáveis e, nas “entrelinhas”, que a soltura de Lula poderia ser revertida.

Mas o que se vê hoje, após a absurda libertação do ex-Presidente, é que todas essas “insinuações”, e avisos “castrenses”, não passaram de “balacas”, de palavras para assustar e “inglês ver”.

Lula foi solto. E ficou “tudo por isso mesmo”.

E na verdade nenhuma lei nova ,ou emenda à constituição (PEC) , teria validade jurídica para reverter a “coisa julgada” , pela qual a soltura de Lula foi determinada pelo Supremo. Somente uma constituição nova poderia fazê-lo. Mas essa alternativa em princípio estaria descartada em virtude da falta de coragem e “cegueira” acampada nas autoridades e políticos pretensamente opositores ao mar de lama representado e comandado por Lula da Silva.

As medidas que andam sendo cogitadas e trabalhadas nas Duas Casas do Congresso (Senado e Câmara Federal),que tentam desesperadamente fazer reformas na Constituição,ou no Código de Processo Penal, autorizando a prisão de réus condenados por tribunais colegiados,ou em 2ª Instância,não passam de PALIATIVOS que só poderão ser aplicados nos futuros casos, não se aplicando a nenhum dos réus beneficiados pela decisão do Supremo de 7 de novembro, inclusive Lula.

Mas sobre esse “detalhe”, o silêncio, tanto dos deputados e senadores, quanto da grande mídia, chega a ser “sepulcral”. Essas reformas só pegarão os réus “mixurucas”, daqui para a frente. Os Lula(s) da Silva “et caterva” continuarão soltos.

As novas forças políticas, que se dizem “renovadoras”, não têm o “crâneo” necessário para que percebam que as “garantias” dos seus opositores e “boicotadores”,residem exatamente naquele texto constitucional que escreveram em 1988 e que, segundo seus preceitos, estariam garantindo a perpetuidade de poder político à corrente ideológica de esquerda. “Nadar” contra essa constituição, é mais difícil do que nadar contra qualquer correnteza.

O jurista Modesto Carvalhosa percebeu com muita clareza o obstáculo representado pela constituição vigente às reformas necessárias, pelo que merece integral apoio das forças políticas,”militares”, e populares ,comprometidas com os melhores valores do povo brasileiro.

Sérgio Alves de Oliveira

Advogado e Sociólogo

Nenhum comentário:

Postar um comentário