AdsTerra

banner

sexta-feira, 22 de março de 2024

Simulador de cirurgia chama a atenção de visitantes do South Summit

 Equipamento permite aos visitantes simularem um médico realizando uma cirurgia por vídeo

Equipamento permite aos visitantes simularem um médico realizando uma cirurgia por vídeo 

Um simulador de laparoscopia, cirurgia realizada com pequenas câmeras e pinças que não demanda grande abertura do abdômen do paciente, chamou a atenção de quem passava pelo Marketplace da South Summit 2024.

A inovação apresentada pela Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs) permite que o visitante simule os procedimentos que um médico precisa treinar para realizar a cirurgia. Segundo o consultor de vendas Rafael Mazzuca, o equipamento é capaz de simular todo o bloco cirúrgico no qual um médico estaria para conduzir o procedimento.

Por meio da utilização de óculos de realidade virtual, o visitante pode olhar ao redor da sala que simula um Bloco cirúrgico e ter a compreensão de toda a operação. “O simulador é um ambiente seguro para o aluno treinar as habilidades necessárias para a cirurgia, com a vantagem de não estar realizando em um paciente ou em um modelo animal, além de vantagens de custo”, explica.

Ele mostra como o simulador tem retorno tátil, ou seja, responde aos comandos do profissional como ocorreria num paciente real. “No momento em que eu corto o tecido, em que eu tenciono, eu consigo sentir tudo isso como se fosse real”.

Já o sócio diretor da Associação, Marcos André dos Santos, explica que o simulador é apenas um dos equipamentos disponíveis no Instituto Simutec da Associação. “Tradicionalmente, a medicina era ensinada no paciente. Mas hoje, com a simulação e a realidade virtual, o acadêmico de medicina ou o médico que está se especializando pode treinar de forma muito próxima do real com menos custo e maior segurança”, explica.

O diretor conta como o equipamento também é capaz de simular intercorrências que podem acontecer durante a cirurgia, e assim treinar o médico para agir da melhor forma para tratar o paciente, sem colocar nenhuma vida em risco.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário