AdsTerra

banner

segunda-feira, 11 de março de 2024

Lula levou Janja e ministras para comer feijoada em “point” petista em celebração ao dia da mulher

 


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva levou a primeira-dama Janja e ministras do seu governo para almoçar em um point petista na capital federal em celebração ao Dia Internacional da Mulher, comemorado na última sexta-feira (8). A cantora Daniela Mercury estava entre as convidadas.

Janja fez o papel de mestre de cerimônia.

“A gente queria fazer um encontro do presidente Lula com as mulheres que trabalham na Esplanada dos Ministérios”, disse ela. Segundo a primeira-dama, o almoço no restaurante foi ideia do próprio presidente.

O chefe de governo falou rapidamente. “Nossas conquistas democráticas são muito recentes, e as conquistas das mulheres são mas recentes ainda”, disse o petista. “Nunca se contentem com o que já conquistaram. É bom reconhecer a conquista, mas é algo que instiga a gente a querer mais, exigir um pouco mais”.

Lula também mencionou que a política brasileira costuma ter influência de militares, e destacou que este é o maior período democrático da história do País. Além disso, o chefe do governo mencionou os ataques de 8 de janeiro aos poderes da República. São falas que ele profere com frequência.

O almoço foi em um restaurante localizado em bairro simples de Brasília. A equipe do Planalto parou o trânsito em frente ao lugar e montou uma estrutura do lado externo para Lula. Um conjunto de mulheres tocava samba.

Alguns apoiadores de Lula se aproximaram até onde as grades permitiram para ver o presidente. O gradil estava a algumas dezenas de metros de onde ele almoçou.

De acordo com a Secretaria de Comunicação Social (Secom), os participantes pagaram suas próprias refeições: R$ 55 por feijoada, pernil, costela bovina e uma bebida não alcoólica.

“É importante lembrar que cada pessoa que vai comer aqui vai pagar sua conta”, declarou o petista.

“Só o meu almoço a Tia Zélia falou que é de graça”, disse o presidente da República.

Lula tem um cardápio especial. Está comendo rabada com arroz, feijão e ovo com a gema mole. A dona do restaurante, Maria de Jesus Oliveira da Costa, conhecida como Tia Zélia, cozinha para o presidente há anos, desde seu primeiro governo.

Ela é uma admiradora do chefe do governo. O salão de seu restaurante é decorado com fotos de Lula. Em 2022, quando o petista ainda era pré-candidato, Tia Zélia levou rabada para ele em um hotel de Brasília. Na última semana, foi levada pelo secretário de Produção e Divulgação Audiovisual do Planalto e fotógrafo de Lula, Ricardo Stuckert, para acertar a organização do evento desta sexta-feira.

Tia Zélia foi homenageada no almoço. Ela contou ter se mudado da Bahia para Brasília com os filhos para a Vila Planalto, onde encontrou o pai das crianças.

“Trabalhei oito anos de cantina. Aí, as cantinas acabaram, porque a obra de Brasília acabou”, disse ela. Contou que passou fome. Hoje, seu restaurante emprega 25 pessoas.

Ela disse que conheceu Lula em 2008, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. Contou ter recorrido a Lula para evitar a perda de sua casa e sua tenda.

“O povo veio para derrubar meus trens, minha tendinha, minha casinha. Eu falei não derruba, não”, declarou Tia Zélia.

O evento estava marcado para meio-dia. Janja chegou às 12h15, sem Lula. O presidente estava em reunião no Palácio do Planalto, e só chegou ao restaurante às 12h45.

O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário