AdsTerra

banner

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2024

Brasil suspende a importação de Tilápia do Vietnã, afirma ministro da Agricultura

 Ministro Carlos Fávaro anunciou interrupção das importações durante o Show Rural Coopavel, em Cascavel/PR

Francisco Medeiros, presidente da Peixe BR, afirma que o Brasil não precisa da tilápia importada para atender à demanda interna 

O Brasil suspendeu as importações de tilápia vindas do Vietnã, anunciou o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, nesta quarta-feira, 7, durante O Show Rural Coopavel, em Cascavel/PR. Em 30 de janeiro, a Associação Brasileira de Piscicultura (PeixeBR) se reuniu com o governo federal e cobrou explicações sobre a importação de um lote de 25 toneladas de tilápias congeladas do Vietnã em dezembro de 2023.

“Foi determinação ontem à noite antes de sair para cá: que seja suspensa imediatamente qualquer importação de tilápia vinda do Vietnã, para que os protocolos sanitários sejam todos revisados. Nós não podemos precarizar a sanidade dos nossos produtos, é isso que garantiu essas aberturas de mercados e é neste nível da régua que nós vamos manter a qualidade dos produtos brasileiros. Vamos conversar Vietnã, não queremos um potencioso, não queremos uma disputa e mercado fechados, mas em hipótese alguma, precariziremos a questão sanitária”, disse o ministro.

O que disse a PeixeBR

A Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR), entidade que representa os produtores de tilápia de todo o Brasil, enviou nota oficial à imprensa, afirmando que o pronunciamento do ministro Fávaro atende aos pedidos da associação. Confira a nota na íntegra:

Os ministros Carlos Fávaro, da Agricultura e Pecuária (MAPA), e André de Paulta, da Pesca e Aquicultura (MPA), anunciaram, hoje (07.02.2024), que estão suspensas as importações de tilápia do Vietnã até que sejam feitas todas as análises de risco sanitário dos produtos vindos daquele país.

“A decisão do MAPA e do MPA atende a insistentes pleitos da Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR). Desde a confirmação da importação de um lote de tilápia do Vietnã, em dezembro, deixamos claro o receio de entrada no Brasil do vírus TILV, além do uso de polifostato no Vietnã para aumentar artificialmente o peso dos filés de tilápia e de pangasius”, ressalta Francisco Medeiros, presidente executivo da Peixe BR.

Em recente pronunciamento, Medeiros informou que o Brasil é um grande importador de pangasius do Vietnã e, como a análise dos peixes importados era feita por amostragem, “um volume não identificado de pangasius tratado com polifosfato está entrando no país. Isso também é preocupante, pois é uma fraude ao consumidor brasileiro”.

Francisco Medeiros reforça que o Brasil não precisa da tilápia de fora para atender à demanda interna. “Somos o 4º maior produtor mundial e nossa produção aumenta ano após devido ao investimento dos piscicultores e da indústria de genética, nutrição, sanidade e equipamentos”.

A Associação Brasileira da Piscicultura agradece a sensibilidade dos ministros Carlos Fávaro e André de Paula, que “entenderam a seriedade da questão e tomaram a decisão mais correta: suspender as importações de tilápia do Vietnã”.

Entenda o caso

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) anunciou no dia 31 de janeiro que revisaria os protocolos sanitários para a importação de tilápia. A decisão foi anunciada após reunião do Mapa com o Ministério da Pesca e Aquicultura e com representantes da Associação Brasileira de Piscicultura (Peixe BR). O encontro foi realizado, a pedido dos piscicultores, após o ingresso de alto volume de tilápia do Vietnã no Brasil, em dezembro do ano passado.

“Acompanhamos com muita preocupação os pesados prejuízos do TILV (vírus presente no Vietnã). A tilápia é o nosso mais importante peixe de cultivo e a entrada desse vírus no Brasil seria desastroso para a cadeia produtiva, que conta com mais 230 mil estabelecimentos rurais que criam peixes – expressiva maioria de pequeno porte – e 1 milhão de empregos”, argumentou o presidente da Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR), Francisco Medeiros.

Outro motivo de preocupação está num possível acordo comercial entre o Brasil e o Vietnã que, de acordo com a Peixe BR, está em construção. “Está agendada missão para aquele país, em março, com a presença de empresários de diversas cadeias do agronegócio, além dos ministros André de Paula (Pesca e Aquicultura) e Carlos Favaro (Mapa). Esperamos que isso não seja impeditivo para dar a atenção devida à importação de tilápia daquele país”, pontuou Medeiros. O líder garante que o país não precisa importar tilápia para atender à demanda interna, já que é o quarto maior produtor mundial do pescado.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário