sábado, 15 de outubro de 2022

Candidatos ao governo do RS apresentam novas estratégias nos programas de TV

 Leite cita ex-candidatos e Onyx apresenta projeto para regularização fundiária

Decido por meio de sorteio, o horário iniciou com o programa de Eduardo Leite (PSDB), seguido por Onyx Lorenzoni (PL) 

O segundo programa eleitoral com os dois candidatos ao governo do Rio Grande do Sul trouxe novidades. Onyx Lorenzoni (PL) e Eduardo Leite (PSDB), que disputam o segundo turno, mudaram o tom e apostaram na apresentação de propostas nas exibições desta sexta-feira na televisão. 

Primeiro a aparecer, o tucano buscou descolar a disputa ao Piratini à corrida presidencial, destacando, inclusive que o "Rio Grande foi um dos poucos estados do país que rompeu com a esquerda e a direita". Reforçando a mensagem de que seria um candidato "do Rio Grande" e buscando atrair eleitores de outros espectros políticos, Leite fez menção a candidatos que disputaram o primeiro turno pelo Palácio Piratini. 

"Seremos a voz de quem estava com Vieira (da Cunha, do PDT), e por isso iremos levantar ainda mais forte a bandeira da educação como prioridade absoluta e ampliar as escolas em tempo integral. Seremos a voz de quem estava com o (Vicente) Bogo (PSB), olhando para políticas públicas de quem mais precisa, especialmente na área rural. Seremos a voz de quem estava com o Solidariedade, ampliando a nossa política de geração de emprego e renda, tão defendida pelo nosso candidato (Roberto) Argenta (PSC). Seremos também a voz de quem estava com o (Edegar) Pretto (PT), dando foco total ao combate à fome e à miséria, de forma urgente e imediata."  

A mensagem de valorização do Estado, assim como Leite tem adotado na segunda fase de campanha, se deu também na apresentação de um novo jingle, com frases como "se tem guerra lá em cima, aqui se semeia paz". A mensagem de "amor e esperança" também foi explorada. 

Já o candidato do PL apresentou um novo programa com foco nas suas propostas e no seu trabalho enquanto ministro em diferentes pastas da gestão de Jair Bolsonaro (PL), mas com críticas pontuais ao seu concorrente, entre elas a "implementação do fecha-tudo" que teria causado prejuízos econômicas ao Estado, durante a pandemia a Covid-19.

Na inserção ele apresentou o projeto "Minha Casa Gaúcha", que pretende facilitar a regularização fundiária no campo e na cidade e facilitar na desburocratização no acesso à moradia. Para reiterar a mensagem de que "Onyx sempre esteve ao lado das pessoas", é citado sua relação, enquanto ministro da Cidadania, na execução do Auxílio Emergencial. "Nosso governo vai facilitar a vida de quem quer produzir, gerar trabalho e renda", disse. 

A relação entre o candidato do PL e Bolsonaro foi um ponto novamente explorado, assim como a mensagem de que o mesmo "não fica em cima do muro". Em gravação utilizada na inserção o candidato fez críticas à esquerda e defendeu o lema "Deus, pátria, família e liberdade". 

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário