segunda-feira, 18 de julho de 2022

OBSERVATÓRIO CAOLHO - Gilberto Simões Pires

 INCRÍVEL!

Por incrível que possa parecer aos olhos e mentes dos massacrados PAGADORES DE IMPOSTOS, o fato é que, na semana passada, a FGV - Fundação Getúlio Vargas - e o IBRE -Instituto Brasileiro de Economia, através do Observatório de Política Fiscal, lançaram o livro digital -Progressividade Tributária e Crescimento Econômico-, com PRETENSAS propostas para tornar o Sistema Tributário Nacional MAIS JUSTO (?). 


ELEVAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA?????

Pois, o grupo de PESQUISADORES que está por trás do tal -Observatório de Política Fiscal-, ao invés de se dedicar, e propor, uma correta e justa REFORMA FISCAL, do tipo que DEFINE E ESTABELECE UM JUSTO, DECENTE E ADEQUADO TAMANHO DO ESTADO PARA QUE POSSA SER SUSTENTADO PELOS PAGADORES DE IMPOSTOS, o que o livro propõe, pasmem, é uma ELEVAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA DOS MAIS RICOS. Mais: atestam que este é o caminho para um sistema tributário menos desigual. Pode?


REFORMA TRIBUTÁRIA

Para que fique bem claro, o Projeto que está tramitando (desde sempre) no Congresso Nacional trata de uma REFORMA TRIBUTÁRIA, cujo propósito deveria se focar numa pretensa e necessária SIMPLIFICAÇÃO TRIBUTÁRIA, o que facilitaria a vida dos PAGADORES DE IMPOSTOS. De novo: a REFORMA TRIBUTÁRIA não mexe no tamanho da CARGA TRIBUTÁRIA. Apenas com a SIMPLIFICAÇÃO. 


REFORMA FISCAL

Já a REFORMA FISCAL (que infelizmente não está sendo cogitada nem discutida), tem a ver com o TAMANHO DO ESTADO. Como tal deveria dizer o que deve e/ou precisa ser feito com os recursos arrecadados pelos governantes. E neste particular, todos os brasileiros sabem, perfeitamente, que a maior parte de tudo que é arrecadado vai -diretamente- para o bolso dos -privilegiados- servidores públicos, tanto os -ativos- quanto os -inativos-. E boa parte do que sobra ou é tomado emprestado, é destinada para projetos absurdos, do tipo que não produzem benefícios para a sociedade.


PROGRESSIVO

Pois, mesmo diante desta triste realidade, a turma do Observatório de Política Fiscal entende e assegura que o mais correto e -imediato- não é acabar com os GASTOS INDECENTES. Segundo os pesquisadores, como está posto no livro, a solução do equilíbrio fiscal passa pela ELEVAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA DOS MAIS RICOS. Ou seja, o IMPOSTO DE RENDA, que nem deveria existir, deve ser PROGRESSIVO. Como se já não fosse! Pode? 


CAOLHO

Mais: o OBSERVATÓRIO -CAOLHO- centra o estudo usando o sistema utilizado em outros países. Entretanto, o que fazem os -outros- países com os impostos que arrecadam os pesquisadores sequer mencionam. Cuidam apenas de mais IMPOSTO e/ou mais TRIBUTAÇÃO. Propor um ESTADO MAIS JUSTO E MAIS DECENTE, infelizmente não é minimamente tratado no livro.


PRIME NEWS



ELEIÇÕES



A partir de quarta-feira (20), os partidos podem realizar suas convenções para escolher e oficializar suas candidaturas para as eleições de 2022. Os encontros devem ocorrer até 5 de agosto, conforme calendário estabelecido na Lei da Reforma Política de 2015. Ciro Gomes (PDT) será o primeiro a lançar sua candidatura à Presidência da República, com a convenção nacional do PDT já na quarta. o dia seguinte, oficializa sua campanha o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O presidente Jair Bolsonaro (PL).deve lançar sua campanha à reeleição no domingo (24), no Rio de Janeiro.




RECESSO PARLAMENTAR


A partir de hoje, os parlamentares do Congresso Nacional entram em recesso e só retornam às funções no dia 1° de agosto. Para o recesso de julho, é necessário que o Congresso aprove o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), aprovado na última terça-feira (12). Durante o período, membros da Comissão Representativa, tanto de deputados quanto do senado, estarão de plantão e poderão aprovar créditos adicionais solicitados pelo governo, além de fiscalizar os atos do Executivo.


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário