quarta-feira, 27 de julho de 2022

MPT abre inquérito civil por denúncias de assédio contra Pedro Guimarães

 A decisão ocorreu após funcionárias do banco afirmarem que foram alvos de investidas por parte do ex- presidente da instituição



O Ministério Público do Trabalho (MPT) decidiu abrir inquérito civil contra a Caixa Econômica Federal (CEF) e contra o ex-presidente da instituição Pedro Guimarães pelas denúncias de assédio sexual. A decisão ocorre após funcionárias do banco público afirmarem que foram alvos de investidas por parte de Guimarães em eventos e viagens de trabalho.

O escândalo levou à queda dele da presidência da Caixa. De acordo com informações obtidas pelo R7 e pela Record TV, uma notícia de fato foi aberta após o recebimento de 14 denúncias de assédio sexual, discriminação em processos seletivos internos para promoção de servidores e assédio psicológico contra Pedro Guimarães.

A notícia de fato, agora convertida em inquérito civil, corre na Procuradoria Regional do Trabalho da 10ª Região, sediada em Brasília. De acordo com as acusações, o ex-presidente do banco era uma pessoa instável, que realizava diversas ofensas contra seus subordinados, perseguia quem se opunha às determinações e impedia a ascensão profissional de colaboradores.

Pedro foi nomeado para o cargo mais elevado da instituição bancária em 2019, e desde então, recebeu mais de R$ 3 milhões em salários, com média de R$ 76 mil por mês. De 2021 a 2022, o salário dele teve um crescimento de 53%, quando comparado ao período anterior, chegando a um rendimento anual de R$ 1.441.761,28.

R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário