terça-feira, 26 de julho de 2022

Justiça termina perícia em Adélio; decisão sobre soltura sai em 30 dias

 Homem que esfaqueou Bolsonaro em 2018 foi reavaliado e pode receber liberdade se não oferecer mais riscos à sociedade


A Justiça Federal concluiu nesta segunda-feira uma perícia médica em Adélio Bispo de Oliveira, responsável por esfaquear o presidente Jair Bolsonaro durante a campanha presidencial de 2018. O resultado do exame deve ser divulgado em até 30 dias. Se for constatado que não oferece riscos à sociedade, Adélio será libertado.

Adélio está internado na penitenciária federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, desde o atentado a Bolsonaro. Ele foi diagnosticado com transtorno delirante permanente-paranoide — quando o paciente não consegue diferenciar fatos criados pela própria mente do que é real —, e recebe tratamento psiquiátrico no presídio.

Se a perícia decidir pela liberdade de Adélio, ele não sofrerá outras sanções. Contudo, terá de ser avaliado de tempos em tempos para verificação de alguma possível piora no estado mental. Adélio foi absolvido impropriamente pelo juiz federal Bruno Savino em 14 de junho de 2019. A absolvição imprópria é um dispositivo que pode ser aplicado aos réus considerados inimputáveis. O réu não é sentenciado a uma pena, mas deve cumprir medida de segurança. No caso de Adélio, a prisão preventiva foi convertida em internação.

A Polícia Federal abriu dois inquéritos para apurar a facada. No primeiro deles, sobre as circunstâncias do crime, concluiu que Adélio tinha agido por motivação política, mas que ele sofria de distúrbio mental. No segundo, a investigação foi para saber se havia um mandante do atentado. O inquérito chegou à conclusão de que não houve participação de terceiros. A investigação foi reaberta no ano passado e ainda está em curso.


R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário