sábado, 16 de julho de 2022

Bivar diz ter apoio de Leite, mas tucano não descarta apoio à Tebet

 Após a afirmação do presidente do União Brasil, o ex-governador do RS emitiu nota deixando em aberto apoio aos presidenciáveis



O discurso de Eduardo Leite (PSDB) agradecendo o apoio do União Brasil à sua candidatura ao governo do Rio Grande do Sul gerou conflito nesta sexta-feira (15). Embora não tinha dito de forma clara que apoia o pré-candidato à Presidência da República Luciano Bivar (União Brasil), Bivar afirmou que recebeu o suporte de Leite. Além disso, o tucano gaúcho não descartou caminhar com Simone Tebet (MDB), como a cúpula do PSDB havia definido.

Num vídeo (veja abaixo) divulgado por Bivar, Eduardo Leite afirma que o apoio que recebe do União Brasil para liderar o Rio Grande do Sul "vem com a alegria de podermos ter o apoio em nível nacional para uma candidatura que o União Brasil apresenta, que propõe agenda, que propõe caminho para o país, que é a candidatura do presidente do União Brasil, Luciano Bivar".

Apesar do discurso do tucano não ter deixado claro uma preferência dele por Bivar, o presidente do União cravou na legenda da publicação que estava recebendo o apoio de Eduardo Leite "com muito orgulho". No entanto, caso a decisão se concretizasse, iria contra o entendimento do PSDB, que apoia Simone Tebet.

Após o conflito, Leite emitiu uma nota. No texto, ele deixa em aberto o apoio aos presidenciáveis. "Temos o nome de Luciano Bivar, temos o nome da senadora Simone Tebet. Nós vamos dar a sustentação para que se viabilize uma alternativa a estes dois projetos que protagonizam e polarizam hoje, que estão em extremos e não são benéficos para o país", afirma.

A nota ainda diz que Tebet é uma candidata com qualidades, mas que Eduardo Leite vai aguardar uma consolidação do processo. "A eventual formação de palanques duplos nas coligações locais é natural e pacificada no PSDB e nos demais partidos. Jogamos todos na mesma direção".

Durante as discussões sobre o nome de Leite para disputa presidencial, ocorridas até a primeira metade deste ano, ele fez várias reuniões com Tebet e chegou a cogitar ser vice da senadora em uma chapa para a Presidência da República. O ex-governador ressaltou que ela era a protagonista desse processo e elogiou os projetos e agendas da pré-candidata.

R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário