quinta-feira, 9 de junho de 2022

Vieira da Cunha realiza ato de lançamento de pré-candidatura ao Piratini

 Evento contou com lideranças estaduais e nacionais do PDT, além de Ciro Gomes



Afastado da atividade política há seis anos, quando se dedicou ao Ministério Público do Estado, Vieira da Cunha volta aos holofotes da política com o lançamento de sua pré-candidatura ao governo do Estado pelo PDT, em ato realizado na noite desta quarta-feira, com a presença de Ciro Gomes, em uma casa de shows na Cidade Baixa, em Porto Alegre.

Vieira lembrou que o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, o presidente estadual Ciro Simoni, ambos presentes no ato, do bom presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior, bateram à sua porta, dizendo precisar dele para o projeto que estavam montando para o Estado. Quando da desistência de Romildo, cunhado de Vieira, Lupi entrou em contato novamente o "convocando". "Eu disse que o cavalo já estava encilhado. Hoje estou montando neste cavalo", afirmou.

Em vídeo reproduzido no evento, o ex-governador Alceu Collares, aos 94 anos de idade, enalteceu as pré-candidaturas de Vieira e Ciro Gomes, que chamou de "extraordinárias". Vieira garante que sua pré-candidatura não é apenas para que o partido "ocupe um espaço". "Não foi para ocupar espaço que o partido me convocou. Foi em função da importância do RS no contexto da federação e do projeto de eleger o Ciro Gomes presidente", afirma.

No entanto, o pedetista, que teve um encontro com lideranças do MDB na última segunda-feira, incluindo o ex-governador José Ivo Sartori, promete seguir o diálogo por alianças na semana que vem. Além do MDB, PDS, União Brasil e PSB são as siglas com quem o PDT tem tido reuniões, nas palavras de Vieira, com "excelentes conversas".

Questionado se pode abrir mão da candidatura caso feche acordo com partidos que já possuem pré-candidato, caso do MDB com Gabriel Souza e do PSB, com Beto Albuquerque, Vieira deixa a possibilidade no ar. "'Não abrir mão' é uma expressão que passa ideia de arrogância e prepotência. Todos interlocutores tem que sentar buscando uma solução comum. O que tem emperrado é o desejo legítimo de cada um em ser cabeça de chapa".

Vieira destaca que é pré-candidato há pouco mais duas semanas e que pesquisas que o apontam um "bom patamar de arrancada" pelo tempo em que não disputou cargos eletivos. "A medida que a população tome conhecimento da minha candidatura há um campo fértil de crescimento".

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário