sábado, 2 de abril de 2022

PDT convence Romildo e prepara candidatura do presidente do Grêmio ao Piratini em 2022

 Mandatário gremista deve solicitar licença de 90 dias do cargo a partir de julho


*Com informações do repórter da Rádio Guaíba, Rafael Pfeiffer

Depois de seguidas negativas, o PDT (Partido Democrático Trabalhista) convenceu o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior, a concorrer pela sigla nas eleições do governo do Rio Grande do Sul e deixar seu cargo no Tricolor em 2022. Bolzan ainda não confirma oficialmente, mas já avisou sua decisão aos seus pares de partido. Ciro Simoni e o presidente trabalhista Carlos Lupi foram os principais nomes que atuaram na reversão do desejo do dirigente. 

Conforme o repórter da Rádio Guaíba, Rafael Pfeiffer e a colunista do Correio do Povo, Taline Oppitz, o mandatário gremista planeja uma licença da presidência de 90 dias em julho - período limite para o pleito. Deste modo, ele é quem indicará seu sucessor no clube. Membro do Conselho de Administração e ex-vice de futebol, Paulo Luz é o mais cotado. 

A saída em julho, no entanto, não é o desejo dos trabalhistas. O entendimento interno da sigla é que um eventual título do Gauchão, neste final de semana, contra o Ypiranga na Arena, poderia ser o momento ideal para Bolzan deixar o clube, onde ficou marcado pelo rebaixamento apesar da boa administração financeira e os títulos da Copa do Brasil e da Libertadores. 

Segundo Pfeiffer, o contexto político do time gremista impacta na decisão de Bolzan. Em caso de renúncia e saída neste final de semana, o presidente gremista "entregaria" o cargo ao membro do Conselho de Administração com a matrícula mais antiga. Caso de Duda Kroeff. Porém, Kroeff já deixou claro que não deseja assumir, passando a presidência ao seguinte, Adalberto Preis, futuro adversário político nas eleições do clube no final do ano. 


Rádio Guaíba e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário