terça-feira, 24 de agosto de 2021

Prefeitura de Porto Alegre publica decreto para usar veículos e pessoal privados em linhas da Carris

 Empresa enfrenta paralisações após decisão de usar alguns ônibus sem cobradores



A prefeitura de Porto Alegre publicou decreto, nesta segunda-feira, que permitirá requisitar veículos, pessoal e materiais de empresas privadas, lotações e escolares para suprir as linhas da Carris. A empresa municipal de transporte enfrentou paralisações do serviço por conta de greve dos seus servidores nesta arrancada da semana.

Conforme o decreto, os que forem contemplados com as requisições serão remunerados por "indenização administrativa". Ainda segundo o texto assinado pelo prefeito, Sebastião Melo, o cálculo será feito pela EPTC, levando em conta quilômetros percorridos e outros detalhamentos técnicos.

- Leia a íntegra do decreto

A prefeitura aponta a necessidade de garantir a suplementação do serviço de transporte também por conta do momento pandêmico, para evitar aglomerações por falta de veículos e excesso de pessoas nas paradas. Além disso, salienta que a economia está sendo retomada, o que demanda a manutenção do serviço.

A decisão de declarar greve foi tomada após os rodoviários descobrirem que Melo mandou colocar ônibus das linhas 343, T5 e T2A circulando sem cobradores e com preço da passagem reduzido a R$ 4. Essa medida foi interpretada como um claro sinal de recusa ao diálogo, pois a categoria também se opõe ao projeto de lei do 016/21, que propõe a retirada gradual dos cobradores dos ônibus da Carris.

Com a decisão de greve, o esforço da categoria passou a ser atrair para o movimento os rodoviários das empresas privadas. “Nós estamos convocando os trabalhadores da iniciativa privada para se somar à nossa luta e juntos fazermos a defesa da companhia Carris, que é uma centenária empresa que faz parte da história de Porto Alegre”, destacou o delegado sindical da Carris, Luís Afonso Martins.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário