terça-feira, 24 de agosto de 2021

EUA aceleram evacuação de Cabul enquanto prazo final de 31 de agosto se aproxima

 Número de pessoas removidas do Afeganistão desde julho em voos dos EUA chegou a 53 mil


Milhares de pessoas foram evacuadas pelo Exército americano através do aeroporto de Cabul nas últimas 12 horas, informou nesta segunda-feira um funcionário da Casa Branca. Washington tenta encerrar a operação em 31 de agosto, prazo limite para suas tropas deixarem o Afeganistão.

Nas 12 horas antes das 03h locais desta segunda-feira (16h do horário de Brasília), cerca de 10.900 pessoas foram evacuadas do Aeroporto Internacional Hamid Karsai, disse o oficial, atualizando os números divulgados anteriormente pelo Pentágono.

O número de pessoas removidas do Afeganistão desde julho em voos dos Estados Unidos chegou a cerca de 53.000, incluindo 48.000 desde que os voos foram intensificados em 14 de agosto, quando o Talibã entrou em Cabul.

Mais cedo, o porta-voz do Pentágono, John Kirby, disse que os evacuados incluíam "vários milhares" de americanos, além de milhares de afegãos que trabalharam para as forças americanas e solicitaram ou receberam vistos especiais. Os afegãos incluem muitos considerados em risco por seu trabalho em organizações não governamentais, mídia e outros empregos.

Kirby acrescentou que a atenção continua voltada para que as operações de evacuação dos EUA sejam concluídas antes de 31 de agosto, data limite estabelecida pelo presidente Joe Biden para a retirada do país.

A meta se mantém apesar das objeções dos aliados da Otan, que temem que os voos a partir de Cabul sejam suspensos dias antes de 31 de agosto para permitir a retirada dos 5.800 soldados americanos deslocados no aeroporto para apoiar a própria operação.

"Temos tempo"

Às vésperas de uma reunião virtual do G7 dedicada ao Afeganistão, Kirby não descartou o adiamento do prazo. Para os Estados Unidos, "o objetivo é fazer com que o maior número possível de pessoas saia o mais rápido possível", disse. "O objetivo é tentar fazer tudo o que estiver ao nosso alcance antes do final do mês".

Na Casa Branca, o conselheiro de segurança nacional de Biden, Jake Sullivan, se esquivou de perguntas sobre um possível adiamento do prazo e repetiu que o governo americano estava avaliando a situação "dia a dia".

Ele acrescentou que Biden conversou com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, na segunda-feira. "Continuamos em contato próximo com aliados e parceiros para coordenar a evacuação de seus próprios cidadãos e de seu pessoal prioritário", afirmou.

Sullivan estimou também que há tempo suficiente para retirar todos os cidadãos americanos que desejam deixar o país. "Como o presidente já disse, acreditamos que temos tempo até o dia 31 para evacuar todos os americanos que desejarem", disse.

Funcionários alemães, britânicos e franceses afirmaram, nesta segunda-feira, que as evacuações que eles realizam poderiam continuar depois de 31 de agosto e manifestaram o desejo de que a força dos Estados Unidos permaneça no local para ajudar no transporte aéreo internacional.


AFP e Correio do Povo


"Inter mostrou que não desiste", destaca Aguirre


Inter vai para abafa e busca empate com o Santos no fim do jogo


Yuri Alberto faz valer lei do ex e enaltece gol para conquistar ponto para o Inter


Federação lança o projeto FGF Conecta com live sobre a “morte súbita em atletas”


Corinthians vence segunda seguida com 1 a 0 sobre Athletico-PR


Brasil de Pelotas empata com o Londrina


Grêmio sofre goleada do Palmeiras e está fora do Brasileiro feminino


Sem folga, Grêmio inicia preparação para enfrentar o Flamengo


Ypiranga vence e lidera grupo na Série C


São Paulo vence, desgarra do Z4 e mantém Sport atrás do Grêmio

Nenhum comentário:

Postar um comentário