domingo, 22 de agosto de 2021

Bolsonaro visita sítio onde morou e evita falar de briga entre poderes

 


O presidente Jair Bolsonaro visitou neste sábado (21), o sítio onde morou na adolescência em Eldorado, no interior de São Paulo. Em transmissão ao vivo nas suas redes sociais, o presidente e sua equipe – todos sem máscara – fizeram um recorrido de quase uma hora pela fazenda na companhia do atual proprietário.

Bolsonaro chegou a reencontrar um trator antigo que utilizava na época em que morou no local com os pais e os irmãos.

Em meio às lembranças do trabalho no campo e dos estudos na cidade próxima, o presidente evitou fazer comentários sobre política e economia – mesmo após uma semana conturbada, que culminou com a entrega pelo Planalto ao Senado de um pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

“Meu único desejo é deixar um Brasil melhor do que o que eu recebi em 2019. Apesar de todos os problemas, pandemias, crise hidrológica enorme, as geadas – que queimaram a safrinha de milho e impactam o preço do frango e dos ovos. Tem muita coisa para ser feita, mas passa pelo Parlamento, também tem o impedimento da Justiça, mas seguimos trabalhando”, limitou-se a comentar.

Visita em família

O presidente Jair Bolsonaro e seus três filhos políticos (Eduardo, Flávio e Carlos) tiraram foto com a matriarca da família, dona Olinda Bonturi, em Eldorado, no interior paulista. O presidente foi ao município na sexta-feira (20) à noite.

Ao chegar a Eldorado, ele explicou por que enviou ao Senado Federal um pedido de impeachment contra o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes.

“Ou nós seguimos as leis ou cada um começa a interpretá-la da maneira que melhor interessa”, disse referindo-se à operação que fez buscas e apreensões na sexta-feira contra o cantor Sérgio Reis e o deputado Otoni de Paula.

Bolsonaro afirmou também que nos próximos dias vai fazer o mesmo pedido contra o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Luís Roberto Barroso, que também integra o STF. “Não é fácil fazer o pedido, tem que ter muito equilíbrio e tem que estudar bastante, não pode apresentar por apresentar. Priorizamos o do Alexandre de Moraes e nos próximos dias fazemos esse segundo pedido.”

Ele disse ainda que vai ignorar o relatório final da CPI da Covid. “Quando chegar para mim, boto numa latrina.”

O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário