terça-feira, 15 de setembro de 2020

Evento no Araújo Vianna ensaia volta aos palcos em Porto Alegre

Apresentação de Serginho Moah foi realizada para 450 convidados, com medidas preventivas de higiene

Espaços de público foram limitados pela segurança dos presentes

“E agora, José? A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora, José?” O poema de Carlos Drummond de Andrade traduz bem a realidade do setor cultural desde que a pandemia forçou os cancelamentos de shows em março. Pois a luz apareceu no fim do túnel artístico. Ou melhor, no palco de uma das mais tradicionais casas de espetáculos de Porto Alegre, o Auditório Araújo Vianna, neste domingo. O local recebeu evento-teste oficial visando aperfeiçoar a retomada do setor.
Para o show com o cantor Serginho Moah, o Grupo Live Marketing, idealizador da inciativa, implementou uma série de medidas para reforçar a segurança sanitária dos convidados, compostos por empresários, autoridades e imprensa. Na entrada, um aparelho media a temperatura corporal do público que chegava apenas com a aproximação do pulso. O termômetro também indicava a temperatura ambiente, para facilitar a aferição. Apenas 450 lugares foram liberados para o evento. Para manter o distanciamento entre os convidados, balões amarelos preenchiam os assentos que delimitavam o afastamento de, pelo menos, um metro e meio entre as pessoas, que receberam kits com álcool-gel e máscara.
Depois da abertura com a cantora Mariana Bavaresco, o ex-vocalista do Papas da Língua entrou no palco como uma criança que ficou muito tempo sem ir na pracinha. “Que bom estar de volta, depois de seis meses, neste que é o meu lugar. É a retomada da vida”, saudou. “Sorte”, de Caetano Veloso e regravada pelo Papas, foi a escolhida para abrir o show. “É uma homenagem aos que estão com a gente nesta quarentena e que sempre nos dão sorte”, contou. Sucessos como “Eu sei”, “Blusinha Branca” e “Vem Pra Cá” foram cantados pelo público. Moah também apresentou “Milhões de Orações”, composta durante a epidemia.
O cantor lembrou que o evento traz esperança não só aos artistas. "É importante também para os donos de casas de eventos e de pubs, restaurantes porque afeta tudo que envolve a classe", ressaltou. Foi com essa premissa que um dos coordenadores do Grupo Live Marketing e sócio-diretor da Opinião Produtora, Rodrigo Machado, explicou a abrangência da demanda, que envolve cerca de 70 setores, prejudicados com a pandemia. “Unimos muitas empresas que, apesar de atuações diferentes, perceberam que estão no mesmo barco”, contou Machado, ressaltando que o evento teve a chancela do Governo do RS e da Prefeitura de Porto Alegre. O Grupo Live Marketing agrega aproximadamente 300 empresas da área.
Pensamento no próximo passo
Profissionais devidamente paramentados com equipamentos de proteção individual (EPIs) e preparados para o este evento-teste trabalharam para que não houvesse aglomeração, orientando o público sobre os cuidados. "Todos trabalharam de forma voluntária. Não entrou um centavo”, frisou Rodrigo Machado. Os portões laterais permaneceram abertos durante o show para favorecer a ventilação, como rege a Vigilância Sanitária. “Não conheço outro evento no país deste tipo que tenha a chancela do poder público”. Foi após um manifesto publicado nas redes sociais e a adesão das empresas que o trabalho para este princípio de retomada ver a luz. “Não foram só empresas, é o que chamamos de agrupamento CNPJs e CPFs do setor. Todo mundo sugeriu protocolos e enviamos para o governo do Estado”, lembrou Machado.
O coordenador do Grupo Live Marketing ressaltou o papel do secretário estadual de Planejamento, Orçamento e Gestão, Cláudio Gastal, com quem o setor se reuniu para tratar do tema, ainda em maio. “A arte e a cultura também são questões de saúde. Estamos trabalhando com muita serenidade no governo, sem esquecer de tratar o assunto de forma isonômica, ou seja, sabendo que cidades do interior, que também precisam que os eventos retornem, não terão a mesma estrutura”, lembrou Gastal, presente ao evento. O secretário municipal da Cultura, Luciano Alabarse corrobora. “Que este evento seja o marco da retomada”, enfatizou.  
Na sexta-feira, a Fiergs sediou um treinamento de protocolos para empresas e profissionais que atuam com eventos. Os protocolos já foram testados recentemente nas cidades de Bento Gonçalves e Gramado. O próximo passo será a avaliação de todos estes acontecimentos. Tudo para que a volta aos eventos presenciais aconteça de forma segura.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário