AdsTerra

banner

terça-feira, 2 de abril de 2024

Textor denuncia manipulação de resultados a favor do Palmeiras e garante “provas pesadas”

 Clube paulista respondeu em nota que está tomando medidas cabíveis contra o dirigente do Botafogo na Justiça

Empresário voltou a fazer denúncias 

O dono da SAF do Botafogo, John Textor, voltou a afirmar ter provas de manipulação de resultados no futebol brasileiro. Em entrevista a uma live do Canal do Medeiros no YouTube, o mandatário do clube carioca disse que o Palmeiras tem sido beneficiado há pelo menos dois anos. Em resposta, o time alviverde apontou que está “adotando todas as medidas jurídicas cabíveis” contra o dirigente.

"Ano passado foi turbulento. Não vou deixar o que aconteceu ano passado passar impune, estamos em uma nova temporada. Temos provas pesadas, 100% confirmadas, de que o Palmeiras vem sendo beneficiado por manipulação de resultados por pelo menos duas temporadas”, afirmou Textor. O executivo não apresentou as evidências que disse ter, mas garantiu que as provas “são concretas” e que vai enviá-las aos procuradores. “Desculpe se isso vai criar barulho. Estou aqui para defender a honra do meu clube”, comentou o norte-americano, que garantiu que não haverá interferência em partidas do Botafogo neste ano.

Em resposta às declarações de Textor, o Palmeiras enviou uma nota afirmando que "vem adotando todas as medidas jurídicas cabíveis contra o dono da SAF do Botafogo, John Textor, e não pretende se manifestar novamente sobre a bizarra tentativa do caricato cartola de justificar a perda do título brasileiro de 2023. Confiamos que as autoridades competentes tomarão as providências necessárias com a urgência que o tema exige”.

Não é a primeira vez que John Textor causa polêmica ao falar sobre corrupção no futebol brasileiro. Após a derrota por 4 a 3 para o Palmeiras no Campeonato Brasileiro de 2023, o executivo ficou na bronca com a arbitragem e declarou ter um relatório de 74 páginas com provas de manipulação de resultados. Segundo Textor, esse relatório seria de um jogo entre Palmeiras e Fortaleza do ano de 2022, e não teria tido o envolvimento do clube paulista. Ele também disse que os documentos foram enviados ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e arquivados poucas horas depois.

Estadão Conteúdo e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário