AdsTerra

banner

sexta-feira, 8 de março de 2024

Polícia encontra central de monitoramento do crime em Santos (SP)

 Descoberta acontece duas semanas após vídeos de PMs quebrando câmeras de segurança no Guarujá viralizarem nas redes sociais



A Polícia Civil fechou uma central de monitoramento de câmeras de uma facção criminosa em Santos, no litoral de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (7). Um suspeito, que fiscalizava o local, foi preso em flagrante.

+ Operação da PM na Baixada Santista teve ao menos 5 execuções sumárias

Segundo informações dos policiais, a central controlava 13 câmeras instaladas em postes de ruas da cidade. O homem detido, que já era procurado pela Justiça por não voltar ao presídio após uma saída temporária, era responsável por observar as câmeras para alertar comparsas sobre a presença de policiais na região.

Veja detalhes do caso em reportagem do SBT Brasil

Ainda durante a ação, três suspeitos foram detidos por envolvimento com o tráfico de drogas. Um adolescente também foi apreendido.

A descoberta da central de monitoramento acontece duas semanas após vídeos de PMs quebrando câmeras de segurança no Guarujá viralizarem nas redes sociais. Os agentes fazem parte da Operação Verão, deflagrada no início de fevereiro como reação à morte do policial militar da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) Samuel Wesley Cosmo por criminosos da região.

Câmeras quebradas

Imagens flagraram policiais militares quebrando câmeras de segurança no Guarujá, litoral de São Paulo, em fevereiro.

Um dos vídeos mostrava um policial pegando uma grade de metal, ao lado de uma caçamba de lixo. Outro agente, que segura um pedaço grande de madeira, sobe no gradil – como se fosse uma escada – e atinge a câmera. Ao menos seis PMs aparecem nas imagens.

Outra câmera de segurança, essa com áudio, também foi destruída por policiais. É possível ouvir um dos agentes comentando que o objeto é de metal. Ele arranca a câmera e, após apresentar falha, o equipamento para de funcionar.

Em nota, a Polícia Militar afirmou que os policiais quebraram as câmeras porque elas "eram utilizadas pelos criminosos para monitorar as atividades ilícitas e a chegada das forças policiais à comunidade".

+ Ouvidoria da PM vai voltar à Baixada Santista para investigar série de mortes

Execuções sumárias

Um relatório da Ouvidoria de Polícia de São Paulo e de organizações da sociedade civil denunciou cinco casos de execução sumária pela Polícia Militar, um caso de tentativa de execução, duas invasões ilegais de domicílio pelos militares e seis relatos de abusos policiais durante abordagens da Operação Verão.

Os relatos de moradores e a quantidade expressiva de mortes causadas pela ação fizeram o Ministério Público anunciar um projeto para acompanhar e investigar as atividades policiais na Baixada Santista. Até o momento, 39 pessoas foram mortas durante a Operação.

SBT Bews

Nenhum comentário:

Postar um comentário