AdsTerra

banner

terça-feira, 5 de março de 2024

iFood responde Marinho e diz que chegou a aceitar uma proposta do governo para regular aplicativos

 Empresa também afirmou que apoia uma regulamentação do setor desde 2021

Empresa também afirmou que apoia uma regulamentação do setor desde 2021 

O iFood rebateu nesta segunda-feira o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, que mais cedo disse que a empresa não quis fechar um acordo pelo projeto do governo para regular essas plataformas. Os apps de entrega ficaram fora da proposta, apresentada durante a tarde, que engloba apenas os de transporte por meio de carros.

Na solenidade, realizada no Palácio do Planalto, Marinho disse que iFood e Mercado Livre disseram que a regulação não era apropriada para os respectivos modelos de negócio. Também afirmou que 'não adianta o iFood mandar recado', porque o governo quer uma negociação. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em seu discurso, disse que seria 'prudente' a empresa negociar - mas a nota divulgada não menciona o chefe do governo, só o ministro.

'O iFood esclarece que não é verdadeira a fala do ministro Luiz Marinho de que a empresa não quer negociar uma proposta digna para entregadores. O iFood participou ativamente do Grupo de Trabalho Tripartite e negociou um desenho regulatório para os entregadores até o seu encerramento', escreveu a empresa.

'A última proposta feita pelo próprio ministro Marinho, com ganhos de R$ 17 por hora trabalhada, foi integralmente aceita pelo iFood. Depois disso, o governo priorizou a discussão com os motoristas, que encontrava menos divergência na bancada dos trabalhadores', diz a nota. A empresa também afirmou que apoia uma regulamentação do setor desde 2021.

Estadão Conteúdo e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário