AdsTerra

banner

quarta-feira, 6 de março de 2024

Empresa chinesa traz para a Expodireto solução para sequestrar CO2

 Processo que serve para limpeza de metais pesados e gases emitidos pelas termelétricas, resulta em dois fertilizantes

Peter Lu, vice-presidente da JET JNG US, diz que iniciativa vai ajudar o Estado, que possui as maiores reservas de carvão do país 

Uma alternativa energética mais limpa. Esta a proposta da chinesa JET JNG US, que comparece pela primeira vez na 24ª Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque. A empresa trouxe ao parque de exposições uma tecnologia inovadora que usa aplicação de amônia na limpeza de metais pesados e gases emitidos pelas termelétricas. O processo ocorre em duas etapas da produção, o que resulta em dois tipos de fertilizantes. A primeira fase gera sulfato de amônia, já utilizado como fertilizante.

A segunda, acontece com a reutilização da amônia que captura o CO2 transformando-o em bicarbonato de amônia, produto já testado na China, Espanha e Portugal, e que está em fase de construção para testes no Estado. O uso da amônia irá diminuir a emissão de gás carbônico (CO2) liberado pelas termelétricas.

O diretor-executivo da empresa no Brasil, Giuliano Capelleti de Oliveira, explica que a parceria com os chineses começou em 2020. Além disso, Oliveira explica como o uso da amônia atua, neutralizando o potencial poluente dentro das termelétricas. “A amônia captura o enxofre liberado na combustão do carvão mineral e transforma esse elemento químico em sulfato de amônia”, detalha. “O processo consegue reduzir em 80% a emissão de CO2”, reitera.

O executivo salienta que vai começar a fase de testes com a Emater e a Embrapa para mensurar a eficácia do produto. “O sulfato de amônia tem 21% de nitrogênio e o bicarbonato de amônia tem 17% de aproveitamento no solo, conforme diagnóstico dos testes nos três países”, enfatizou. O vice-presidente da JET, Peter Lu, enfatiza que é importante trazer esta tecnologia para o Rio Grande do Sul, já que o Estado possui as maiores reservas de carvão do país e tem um potencial muito grande para uso de fertilizantes nitrogenados, em suas lavouras.

O secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Ernani Polo, explica que o grupo chinês já participou de duas reuniões na secretaria, quando ambas as partes manifestaram interesse em estreitar relações e consolidar negócios no RS para divulgar a tecnologia, comercializar e encontrar possíveis parceiros, uma vez que está programada a visitação da empresa a Candiota. “A visitação tem a finalidade de mostrar a tecnologia que vai diminuir a emissão de gases poluentes”, disse.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário