AdsTerra

banner

quarta-feira, 6 de março de 2024

Árvores do Parque Germânia são identificadas com placas em alemão e em português

 Ação faz parte das comemorações do bicentenário da Imigração alemã no Rio Grande do Sul

As placas foram traduzidas pelo Goethe-Institut e patrocinadas pelo consulado alemão 


No contexto das comemorações do bicentenário da imigração alemã no Rio Grande do Sul, o parque Germânia, na zona Norte de Porto Alegre, foi palco de um evento marcante: a inauguração das placas de identificação das árvores, redigidas em alemão e português. Essa iniciativa visa não apenas homenagear a história e a cultura dos imigrantes alemães, mas também promover a valorização do patrimônio natural do parque.

Durante a cerimônia foram destacados os laços históricos e culturais entre a Alemanha e o Rio Grande do Sul, evidenciando a importância da imigração alemã para o desenvolvimento da região.

O evento de inauguração das placas bilíngues contou com a presença do Cônsul-Geral da Alemanha Marc Bogdahn que expressou seus parabéns e gratidão às associações envolvidas na iniciativa das placas bilíngues, destacando a importância da colaboração entre instituições locais e o apoio ao Goethe-Institut.

Bogdahn ressaltou a relevância das placas para a compreensão e valorização das árvores presentes no parque Germânia, especialmente por serem apresentadas em ambos os idiomas, português e alemão. E enfatizou o contexto do bicentenário da imigração alemã e a importância das iniciativas que fortalecem os laços entre o Brasil e a Alemanha, tanto no nível político quanto cultural, principalmente no Sul do Brasil.

“Essa ação se insere nas muitas iniciativas dentro do bicentenário da imigração alemã. Eu fiquei impressionadíssimo pela dedicação, pelas iniciativas numerosas. É muito gratificante estar aqui”, declarou o cônsul.

O diretor do Goethe-Institut, Stefan Hoffmann explicou que a ideia surgiu no ano passado e que a tradução para alemão foi realizada pelo instituto que promove cursos de alemão e desenvolve projetos de culturais.

Durante o evento, o presidente da Associação dos Amigos do Jardim Europa, Rui Gregório Back, compartilhou sua visão sobre a importância das placas bilíngues e a parceria estabelecida no contexto do bicentenário da imigração alemã.

“O evento de hoje marca a parceria que a Associação dos Amigos do Jardim Europa quer com o bicentenário da imigração alemã. Nós queremos uma aproximação forte, tanto do consulado alemão como da própria comunidade germânica aqui no Rio Grande do Sul. A gente acha que é muito importante fazer esse vínculo cultural e educacional dentro do projeto que nós temos aqui do BioGermânia”, destacou Back.


O presidente da Associação ainda destacou que as 10 placas foram patrocinadas pelo consulado e afirmou que as placas vão além de ferramentas educacionais e de identificação no parque, elas têm relevância da parceria entre as entidades envolvidas para promover a aproximação cultural e a valorização da herança germânica no estado.

A professora aposentada Maria Luiza Porto pioneira no estudo ambiental do parque Germânia declarou que a instalação das placas é a realização de um sonho.

“Eu fiz juntamente com os meus alunos de pós-graduação da Universidade Federal todo o levantamento ambiental que ajudou o suporte do licenciamento para a implantação do Parque. Então eu tenho um envolvimento emocional e profissional. E agora que eu estou aposentada tento trazer algumas sugestões e materiais que eu tenho da origem desse parque. Esse evento de hoje é um realização. Eu idealizei que tivesse essas placas instruindo o público em geral. Quanto mais se conhece, mais nós respeitamos”, concluiu.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário