terça-feira, 25 de outubro de 2022

Porto Alegre atinge menos de 50% da meta em campanha de vacinação contra a Pólio

 Vacinação de rotina continua, conforme previsto no Programa Nacional de Imunizações (PNI)



O término da campanha de vacinação de crianças de 1 a 5 anos contra a poliomielite no Rio Grande do Sul, no último sábado, trouxe resultados negativos. Pouco menos de 50% do público-alvo da campanha foi atingido.

A Secretaria da Saúde de Porto Alegre (SMS) mantém a vacinação contínua contra a paralisia infantil, conforme o previsto no Programa Nacional de Imunizações (PNI). O imunizante está disponível em todas as unidades de saúde para o público etário indicado no calendário oficinal de rotina do PNI. 

“Teve muita confusão em relação ao que é vacina de rotina e o que é a da campanha. A vacina de rotina já está no calendário e é feita com a dose injetável aos 2, 4 e 6 meses, e com as gotinhas aos 15 meses e aos 4 anos. A campanha é uma dose de reforço, uma vez ao ano”, explica Caroline Schirmer, diretora da atenção primária à saúde da SMS. “Os pais, muitas vezes, acham que, se o filho fez as doses de rotina, não precisa fazer a da campanha”, completa.

Desta forma, não há "recuperação" do público não atingido durante a campanha com a vacinação contínua, mas os pais não podem deixar de levar os pequenos para completar a carteirinha. “É preciso manter as vacinas em dia, a rotina também tem ficado aquém do que precisamos”, alerta a diretora.

De acordo com informação do Relatório de Gestão da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), no segundo quadrimestre a cobertura vacinal (calculada sempre com doses aplicadas em crianças com menos de um ano) contra pólio é de 76,5%. No primeiro quadrimestre, o percentual ficou em 71,7%, mesmo índice verificado em todo ano de 2021.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário