quinta-feira, 14 de julho de 2022

Violência entre gangues no Haiti deixa 89 mortos em uma semana

 Ao menos 74 pessoas ficaram feridas por tiros ou armas brancas em Porto Príncipe, capital do país latino



ONG Rede Nacional de Defesa dos Direitos Humanos anunciou nesta quarta-feira que 89 pessoas morreram nos confrontos entre gangues que paralisam parte da capital do Haiti, Porto Príncipe, há uma semana. "Pelo menos 89 pessoas foram assassinadas e outras 16 estão desaparecidas", informou a ONG, detalhando que o saldo parcial da violência inclui "74 feridos por tiros ou armas brancas".

Os distúrbios começaram em 7 de julho, entre duas facções rivais, em Cité Soleil, bairro pobre e densamente povoado de Porto Príncipe. O surto de violência, juntamente com a escalada dos preços dos alimentos e a escassez de combustíveis, soma-se a uma queda da segurança brutal na capital.

Organizações humanitárias internacionais se esforçaram para entregar suprimentos de alimentos essenciais nas áreas afetadas, bem como para prestar atendimento médico às vítimas.

O chefe da missão local da Médicos sem Fronteiras, Mumuza Muhindo, pediu hoje às gangues que permitam aos médicos um acesso seguro ao Brooklyn, área de Cité Soleil bastante afetada pela violência. Muhindo disse que seus colegas viram corpos queimados e em decomposição ao longo da estrada que leva ao bairro. "É um campo de batalha", comentou. "É impossível estimar quantas pessoas foram mortas."

R7 e Correio do Povo


Corinthians perde para o Santos, mas avança às quartas de final da Copa do Brasil


Brasil derrota Japão e está na semifinal da Liga das Nações feminina de vôlei

Nenhum comentário:

Postar um comentário