domingo, 17 de julho de 2022

México prende narcotraficante histórico procurado pelos EUA

 Caro Quintero, 69 anos, foi capturado por agentes na localidade de Choix, estado de Sinaloa



O narcotraficante histórico mexicano Rafael Caro Quintero, um dos 10 mais procurados pelos Estados Unidos, acusado pela morte do agente da DEA Enrique "Kiki" Camarena em 1985, foi capturado no México. Um dos líderes do extinto cartel de Guadalajara, Caro Quintero, 69 anos, foi preso por agentes na localidade de Choix, estado de Sinaloa. A Marinha acrescentou que o chefe foi detido com fins de extradição.

A recompensa pelo narcotraficante chega a 20 milhões de dólares, a mais alta que a agência antidrogas dos Estados Unidos (DEA) oferece por um criminoso mexicano, superando chefes em plena atividade, como Nemesio Oseguera, "El Mencho", líder do Cartel Jalisco Nova Geração (10 milhões). O chefe havia sido capturado em 1985, por ter ordenado o assassinato de Camarena, e condenado a 40 anos de prisão, que cumpria no México, mas foi libertado em agosto de 2013 por tecnicismo legal.

Após a sua libertação, o governo dos Estados Unidos exigiu a sua captura com fins de extradição, sob as acusações de sequestro e assassinato de agente federal, crimes violentos, posse e distribuição de cocaína e maconha, entre outros. "A prisão de hoje é a culminação do trabalho da DEA e de seus parceiros mexicanos para levar Caro Quintero à Justiça por seus crimes", declarou o Departamento de Justiça americano. "Buscaremos sua extradição imediata, para que possa ser julgado por esses crimes no mesmo sistema de justiça que o agente Camarena morreu defendendo."

Caso Camarena

Em 1984, autoridades mexicanas confiscaram uma plantação de maconha de 2.500 acres pertencente a Caro Quintero. O cartel de Guadalajara culpou Camarena pela apreensão, segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Um ano depois, Camarena foi torturado e morto, depois de passar quatro anos infiltrado no cartel.

Em entrevista concedida ao semanário "Proceso" em 2016, enquanto estava foragido, Caro Quintero negou ter ordenado o assassinato de Camarena. "Eu nunca havia falado sobre esse caso, foi a primeira vez. Não o sequestrei, não o torturei e não o matei", disse.

Nesse momento, o chefe também disse que, após anos no narcotráfico, queria apenas "viver em paz". "A única coisa que busco é paz, e peço perdão à sociedade mexicana pelos erros que cometi."

Caro Quintero nasceu em 1952, em Badiraguato, estado de Sinaloa, berço de outros chefes do narcotráfico, como Joaquín "El Chapo" Guzmán, que cumpre pena de prisão perpétua nos Estados Unidos. Na década de 1970, fundou o Cartel de Guadalajara com os chefes Miguel Ángel Félix Gallardo e Ernesto Fonseca Carillo.

Gallardo, 76, está preso desde 1989, enquanto Carillo, 91, cumpre prisão domiciliar devido à sua idade e a problemas de saúde.

AFP e Correio do Povo


Caxias vence confronto direto com Azuriz e garante vantagem no mata-mata da Série D

Nenhum comentário:

Postar um comentário