sábado, 23 de abril de 2022

Política e inflação fazem dólar subir mais de 4% e fechar a R$ 4,80

 Mercado tem dia negativo após a concessão de perdão ao deputado Daniel Silveira e EUA falarem em inflação duradoura; bolsa tem queda de quase 3%



Em um dia marcado pela turbulência política interna, após o presidente Jair Bolsonaro conceder indulto ao deputado Daniel Silveira após a condenação no STF, e também pelas preocupações com a inflação alta no mundo e perspectivas de juros mais altos nos Estados Unidos, o mercado brasileiro experimenta números bastante negativos. O dólar ultrapassou a casa dos R$ 4,80 - às 15h15, estava cotado a R$ 4,8122, uma alta de 4,15%. O  Ibovespa, por sua vez, operava em queda 2,78%, aos 111.169,42 pontos.

O cenário, que já vinha ruim desde a abertura do mercado, piorou depois que a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, afirmou que a inflação "seguirá conosco por mais um tempo". Durante entrevista à emissora CNBC, ela disse haver a possibilidade de que impor a proibição de importações do setor de energia da Rússia acabe por levar os preços para cima pelo mundo.

"O Livro Bege (divulgado na quarta pelo Federal Reserve, o banco central dos EUA) ainda faz preço. Apesar da inflação pujante nos EUA, ainda falta mão de obra para que a cadeia produtiva se normalize, e isso tende pressionar mais os preços", avalia Victor Hugo Israel, especialista em renda variável da Blue3.

Além disso, acrescenta Israel, na quinta-feira, o presidente do Fed, Jerome Powell, indicou aumento de meio ponto porcentual no juro americano em maio. "E é justamente isso que o mercado vem precificando, um aperto mais forte pelo Fed, que já era um movimento mais natural, mas que o Fed não admitia", avalia.

Varejistas em queda

Setores ligados ao consumo e mais sensíveis ao cenário inflacionário, como varejo e construção, não saem ilesos nesta sexta-feira negativa para os mercados. Entre as varejistas, Via ON cai 3,98% e Magazine Luiza ON, 2,50%. No caso das construtoras, MRV cai 3,31% e Gafisa, 2,82%. Além do alerta feito por Janet Yellen, sobre a inflação nos EUA, a  presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, também afirmou hoje haver uma "chance forte" de alta de juros na zona do euro ainda neste ano.

Agência Estado e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário