segunda-feira, 25 de abril de 2022

Operação fiscaliza ferros-velhos e atua em bares irregulares de Porto Alegre

 Uma danceteria com 100 pessoas foi interditada por falta de Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) e alvará de funcionamento


A madrugada deste domingo foi marcada por uma série de ações da operação Esforço Concentrado, que reune diferentes órgãos de segurança de Porto Alegre. De acordo com o balanço da Secretaria Municipal de Segurança, que coordenou a operação, foram fiscalizados dois ferro-velhos, um bar foi fechado por falta de autorização, um segundo bar interditado por falta de alvará, além de uma danceteria também ser interditada por falta de Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) e alvará de funcionamento. A operação também atuou em duas dispersões de público na região central da Capital.

Dois ferros-velhos foram abordados para coibir a receptação de cabos e fios furtados. Os estabelecimentos ficam localizados nas ruas Comendador Coruja e Garibaldi. O primeiro local permanece interditado desde quarta-feira, 20, quando foi executada a operação Pulso Forte

Durante a operação, duas dispersões de público foram realizadas após a Guarda Municipal ter recebido denúncias de perturbação do sossego. As ações ocorreram na Praça Júlio Mesquita em frente à Usina do Gasômetro e na rua Vereador Dilamar Machado. Além disso, um bar também foi fechado por não ter autorização para abrir depois da meia-noite e um segundo foi interditado por falta de alvará, nas ruas Lima e Silva e José do Patrocínio, respectivamente.

Já na avenida Edgar Pires de Castro, no bairro Hípica, uma danceteria com comportava 100 pessoas foi interditada por falta de Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) e alvará de funcionamento. 

A operação também registrou uma motocicleta que foi abandonada na rua São Luís, no bairro Santana, após dois homens terem avistado as patrulhas dos órgãos de segurança. A dupla fugiu em uma outra moto. 

O efetivo contou com mais de 20 agentes da Guarda Municipal, Brigada Militar e Polícia Civil. Fiscais da prefeitura, agentes de trânsito da EPTC e equipes de limpeza do DMLU também auxiliaram na força-tarefa, totalizando mais 30 servidores. Doze viaturas e um ônibus foram empregados na ação.

“Estamos reforçando as abordagens e fiscalização para mantermos o fechamento de estabelecimentos irregulares. A integração entre as forças policiais é fundamental para ampliarmos o combate à criminalidade e mantermos a ordem pública”, afirmou o secretário-adjunto de Segurança, Comissário Zottis. 

Denúncias podem ser realizadas pelos telefones 153 e 156. A ligação é anônima.


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário