sexta-feira, 15 de abril de 2022

Novo presidente da Petrobras defende política de preços criticada por Bolsonaro

 José Mauro Coelho diz que cálculo baseado na variação do dólar e do barril de petróleo é bom para o país



Empossado nesta quinta-feira como novo presidente da Petrobras, José Mauro Coelho defendeu a política de preços que a empresa adota para definir o valor de comercialização dos combustíveis no Brasil, a chamada PPI (política de paridade internacional). A medida faz com que os preços da gasolina, do etanol e do óleo diesel acompanhem a variação do valor do barril de petróleo no mercado internacional, bem como a do dólar.

"A prática de preços de mercado é condição necessária para a criação de um ambiente de negócios competitivo, para a atração de investimentos, de novos agentes econômicos no setor, ampliação da infraestrutura no país e a garantia do abastecimento. Tal cenário leva ao aumento da concorrência com benefícios para o consumidor brasileiro", afirmou Mauro Coelho, em seu discurso de posse.

A política de preços da Petrobras é constantemente criticada pelo presidente Jair Bolsonaro, que já declarou publicamente que gostaria de uma revisão desse mecanismo. A PPI, inclusive, foi um dos motivos que mais contribuiu para a queda dos dois antecessores de Mauro Coelho. Antes dele, Roberto Castello Branco e Joaquim Silva e Luna foram demitidos pelo chefe do Executivo por causa de constantes reajustes nos preços dos combustíveis.

Desde o início do ano passado, a Petrobras fez 17 reajustes no preço da gasolina e 13 no preço do diesel por conta da PPI. Durante esse período, a gasolina ficou mais cara 12 vezes e o diesel, 10 vezes. As altas mais recentes foram anunciadas em março, quando a estatal aumentou o preço da gasolina em 18% e o do diesel em 25%.

Em 2021, segundo levantamento da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o preço médio da gasolina comum subiu 44,3%, e o do diesel, 44,6%, nos postos de combustíveis do país. Apesar disso, a tendência é de que Mauro Coelho continue aplicando a atual política. Durante a posse, o novo presidente disse que espera melhorar a percepção que a sociedade tem da empresa.

"É uma gestão que valorizará o aperfeiçoamento da comunicação, principalmente o aperfeiçoamento da comunicação externa. Buscaremos maior interação com a sociedade, temos que entender a importância que essa empresa tem para o brasileiro e muitas vezes não conseguimos ter uma comunicação que chegue de forma palatável ao povo brasileiro", observou.

José Mauro Coelho foi presidente do conselho de administração da Pré-Sal Petróleo (Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural) e secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia antes de ser indicado para a presidência da Petrobras.

Ele é ex-oficial de Artilharia do Exército Brasileiro e graduado em química industrial pelas Faculdades Reunidas Professor Nuno Lisboa, especialista em ciências dos materiais pelo INT (Instituto Nacional de Tecnologia), mestre em engenharia dos materiais pelo IME (Instituto Militar de Engenharia) e doutor em planejamento energético pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário