sábado, 26 de março de 2022

Brasil está fora da zona de alerta da Covid-19 pela primeira vez desde julho de 2020, diz Fiocruz

 Entretanto, o boletim destaca que o cenário ainda exige atenção nas ações de vigilância em saúde e cuidados



O Brasil está fora da zona de alerta da Covid-19 pela primeira vez desde julho de 2020, segundo o boletim divulgado nesta sexta-feira pela Fiocruz. Todos os estados e o Distrito Federal estão com taxas inferiores a 60%.

O boletim destaca que esse cenário reflete a tendência de queda de indicadores de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) e de incidência e mortalidade por Covid-19, ainda que com variabilidade em alguns estados. Entretanto, o quadro bastante positivo ainda exige atenção nas ações de vigilância em saúde e cuidados, já que ainda estão elevadas as taxas de SRAG, incidência e mortalidade por Covid-19


Os indicadores epidemiológicos, de ocupação de leitos de UTI Covid-19 e vacinação sinalizam para uma situação "bastante promissora", diz o documento, que também recomenda a manutenção do uso de máscaras para determinados ambientes fechados, com grande concentração de pessoas, ou mesmo abertos em que há aglomerações.

Os dados registrados nas duas últimas semanas epidemiológicas (6 a 19 de março) confirmam a manutenção da tendência de queda de indicadores de incidência e mortalidade por Covid-19, porém em menor velocidade. Essa redução pode apontar para um período de estabilidade da transmissão nas próximas semanas, com taxas ainda altas de incidência e mortalidade.

Foi registrada uma média de 42 mil casos diários, representando um decréscimo de 32% em relação às duas semanas anteriores (20 de fevereiro a 5 de março). Também foi observada a redução do número de óbitos por coronavírus no período, com uma média diária de 570 óbitos, cerca de 35% abaixo dos valores das duas semanas anteriores. Porém, o documento destaca que na semana de 6 a 12 de março houve um pequeno aumento no número de casos, o que pode ser resultado de festas e viagens no período de Carnaval, da flexibilização do uso de máscaras e realização de eventos de massa que têm ocorrido em algumas cidades.

Na semana seguinte, esses valores tornaram a cair. A maior parte dos estados apresentou estabilidade dos indicadores de transmissão, com exceção de Rondônia e Acre, que tiveram redução significativa do número de casos e de óbitos, além de Amapá, Maranhão, Piauí, Paraíba, Bahia e Mato Grosso do Sul, que apresentaram uma diminuição no número de óbitos, mas manutenção do número de casos. Esses dados sobre a transmissão de Covid-19 podem ser visualizados no sistema MonitoraCovid-19.


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário