quinta-feira, 4 de novembro de 2021

Tendência de redução de embalagem de comida ganha força na inflação

 por Joana Cunha

Estudo da Euromonitor sinaliza aumento da demanda por pacotes menores SÃO PAULO

A tendência de redução no tamanho das embalagens de alimentos, característica dos tempos de inflação alta e perda do poder de compra, deve ganhar força neste ano, segundo a Euromonitor.

Na categoria de chocolates e biscoitos, as embalagens de 115 gramas substituem as de 120 gramas. O consumo do pacote menor no varejo deve crescer mais de 80% neste ano ante 2020, enquanto as vendas do maior devem cair quase 4%, conforme o estudo da consultoria.

 

O avanço das embalagens menores já vinha se consolidando desde o ano passado. Em um cenário de pouca margem para aumentar os preços finais, os fabricantes de alimentos reduzem o tamanho das embalagens para suprir a elevação dos custos, segundo Gregory Ribeiro, analista da Euromonitor.

"Vemos a redução tomar uma intensidade na pandemia, mas os consumidores também estão mais atentos. Todos os olhos estão voltados para o varejo, então as marcas precisam ter um cuidado maior para fazer essa mudança", diz Ribeiro.

Ele afirma que as marcas que conseguem manter os preços finais ganham mais confiança do cliente, mesmo com a diminuição dos pacotes, porque a renda é um critério de compra mais relevante neste momento. ?

Fonte: Folha Online - 01/11/2021 e SOS Consumidor

Nenhum comentário:

Postar um comentário