domingo, 21 de novembro de 2021

Juventude perde para o Atlético-MG e fica na porta da zona do rebaixamento

 Triunfo por 2 a 0 deixou mineiros ainda mais perto do título brasileiro; torcida soltou grito de "é campeão" pela primeira vez no Mineirão


Ao som de 'Vou festejar', música que ficou famosa na voz de Beth Carvalho, cantada por mais de 60 mil torcedores presentes no Mineirão, o Atlético Mineiro colocou uma mão no título brasileiro ao derrotar o Juventude por 2 a 0 na noite deste sábado, pela 34ª rodada, com dois gols do atacante Hulk. E, pela primeira vez, o estádio caiu no coro de: "É campeão".

Os torcedores incorporaram o lado supersticioso do técnico Cuca, evitaram até o fim, mas não conseguiram segurar o grito de 'é campeão' para festejar mais uma vitória do Atlético, que segue na liderança isolada do Campeonato Brasileiro, agora com 74 pontos e tirando o Palmeiras da briga pelo título. O time paulista chegou aos 58, na terceira colocação.

A derrota, por sua vez, deixou o Juventude novamente em situação delicada na luta contra o rebaixamento. O time gaúcho tem 39 pontos e seca os rivais para não retornar ao descenso.

A campanha do Atlético segue sendo impressionante. O time mineiro chegou a 14 vitórias seguidas como mandante, nunca antes uma equipe conquistou tal marca, nem o Flamengo, de Jorge Jesus. Foram 46 pontos conquistados como mandante.

O Mineirão balançou com mais uma vitória do Atlético Mineiro no Campeonato Brasileiro. No entanto, não foi fácil passar pelo Juventude, que fez um jogo duro contra o líder da competição. No primeiro tempo, os jogadores do clube gaúcho correram muito e anularam o poderio de fogo do time alvinegro, que não conseguia ser efetivo.

O Atlético apostou na velocidade de Keno e no faro de gols da dupla Hulk e Diego Costa para superar o adversário. E quando Réver sentiu, Cuca colocou o time ainda mais para frente ao recuar Allan e colocar Nacho Fernandéz, recuperado de lesão, em campo. Porém, o que se viu foi um Juventude muito forte defensivamente.

E o time gaúcho conquistou o objetivo nos primeiros 45 minutos como disse o próprio lateral William Matheus no intervalo. O Juventude jogou no contra-ataque para encaixar uma única bola a fim de surpreender o líder, mas o zero a zero acabou agradando, apesar da atuação atrapalhada de Luiz Flávio de Oliveira, que deixou de marcar um pênalti, muito questionado, para o Atlético-MG.

O panorama do segundo tempo não mudou, era ataque contra a defesa. Em mais uma decisão conturbada do árbitro paulista, o pênalti foi marcado em cima de Diego Costa. Hulk foi para a cobrança e enfim conseguiu inaugurar o marcador, aos 26 minutos. A 'porteira' acabou sendo aberta. Aos 31, Keno disparou em velocidade, passou por dois jogadores e deixou com Hulk. O atacante jogou no ângulo para fazer 2 a 0.

Em vantagem, Cuca resolveu recompor o sistema defensivo e abriu a mão de Diego Costa. Igor Rabello entrou em campo e começou a jogar ao lado de Nathan Silva, este com mais uma atuação segura. Ele, inclusive, teve a oportunidade de marcar neste sábado, mas a bola ficou na trave.

Os minutos finais foram de festa. Os torcedores, em ritmo alucinante, tomaram conta do Mineirão e incentivaram o Atlético, que seguiu em cima. O terceiro não saiu, mas a vitória foi fundamental para encaminhar o título brasileiro, 50 anos depois da última conquista.

Na próxima rodada, o Atlético Mineiro visita o Palmeiras na terça-feira, às 21h30, no Allianz Parque, em São Paulo (SP). Também terça-feira, mas às 19h, o Juventude recebe o Red Bull Bragantino, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS).


Agência Estado e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário