segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Separatistas reforçam posição no parlamento, em eleições da Catalunha

 Partido do governo teve mais votos, mas não deve conseguir formar maioria



Os separatistas catalães reforçaram sua maioria no Parlamento regional neste domingo, após eleições marcadas pela pandemia, nas quais os socialistas do primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez conseguiram uma vitória insuficiente para tomar o poder. A política foi parcialmente ofuscada pela pandemia, que deixou marcada a imagem de funcionários destacados para as sessões de votação protegidos da cabeça aos pés para permitir a votação presencial para eleitores doentes com covid-19 ou em quarentena.

Apesar das divisões internas que surgiram após o fracasso da tentativa de secessão em outubro de 2017, os separatistas no poder expandiram sua maioria parlamentar e até superaram os 50% dos votos pela primeira vez nas eleições regionais. Isso diluiu a vitória dos socialistas de Pedro Sánchez, que se uniu à popularidade de seu ex-ministro da Saúde e timoneiro na luta contra o vírus na Espanha, Salvador Illa, para conquistar essa rica região de 7,8 milhões de habitantes.

Com 97,5% dos votos apurados, Illa foi o candidato mais votado (23,4%), mas, com apenas 33 das 135 cadeiras no Parlamento regional, parece difícil que seu Partido dos Socialistas da Catalunha (PSC) possa presidir a região, já que os independentistas prometeram vetar sua formação de pactos de governo.

Logo atrás na votação aparecem os dois partidos do governo regional, Esquerda Republicana (ERC), com 33 assentos, e Juntos pela Catalunha (JxC), com 32. Com os nove assentos da esquerda radical CUP, os independentistas aumentarão de 70 para 74 assentos e poderão formar um governo se conseguiram deixar para trás as discrepâncias de opinião que surgiram desde o fracasso de 2017.

Pela primeira vez, o ERC supera seus parceiros de coalizão JxC, colocando seu candidato Pere Aragonés, um separatista moderado, como o favorito para presidir a região. As eleições trouxeram para Parlamento catalão à extrema direita do partido Vox pela primeira vez, que com um discurso inflamado contra o separatismo catalão emergiu como a quarta força com 11 assentos.

AFP e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário