quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

Encerrado recrutamento para vacina da Janssen em Porto Alegre

 Último voluntário foi registrado no fim da tarde desta quarta-feira



Foi encerrado o recrutamento de voluntários para o teste da vacina contra a Covid-19 do laboratório belga Janssen. A conclusão dessa etapa do estudo ocorreu no mundo inteiro e em Porto Alegre, no Hospital Nossa Senhora da Conceição, o último voluntário foi recrutado no final da tarde desta quarta-feira, totalizando 250 voluntários no recrutamento para o teste do novo imunizante. Conforme o investigador da vacina e coordenador do Serviço de Infectologia do Hospital Nossa Senhora da Conceição, Breno Riegel Santos, agora é preciso aguardar.

"O recrutamento foi encerrado. Agora é que começa o acompanhamento para ver a eficácia", declarou Santos. Segundo ele, o estudo é duplo cego, ou seja, 125 voluntários receberam uma dose única da vacina da Janssen e outros 125 receberam placebo. "Ninguém fica sabendo, nem os voluntários e nem a equipe. Após a aplicação todos voltam para suas vidas e serão acompanhados por até dois anos ou até o momento que a companhia farmacêutica decidir, pelos dados que eles estiverem disponíveis, que a vacina é superior ao placebo", explicou.

De acordo com Santos, o processo pode demorar pouco tempo, ou não. "Acredito que vai ser rapidamente encerrada essa fase e aí todo mundo passa para a vacina, mas só teremos certeza nos próximos meses. O laboratório já indica que é possível que a vacina seja liberada no primeiro trimestre de 2021", declarou. O imunizante, segundo Santos, tem duas vantagens consideráveis: o fato de ser aplicado em dose única e também de não precisar de uma cadeia de frio intenso. "A vacina pode ser mantida em um freezer doméstico", detalhou, reforçando que isso facilita "extraordinariamente" a logística.

Sobre os voluntários que fazem parte do recrutamento, Santos enfatizou que é preciso felicitar a todos e também agradecer por cada um que "se propôs a fazer parte de um estudo em que metade está reebendo placebo". "Demonstraram uma disponibilidade, altruísmo, é uma atitude de extrema importância. Se não fosse assim, não existiria outra forma de comprovar a eficácia de um produto farmacêutico", assinalou. Os voluntários que receberam placebo nessa etapa, no entendimento de Santos, poderão ter preferência para receber a vacina caso seja autorizada.

Segundo Santos, o laboratório belga já sinalizou que há possibilidade de pedido de autorização para uso emergencial do imunizante ainda em janeiro. "É possível que no primeiro trimestre nós tenhamos uma sinalização positiva, mas também isso pode demorar mais, não sabemos", pontuou.


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário