quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Comércio reabre e movimento é retomado no Centro de Porto Alegre

Grandes lojas foram as mais buscadas pelo público nesta quarta-feira



Com a reabertura do comércio não essencial, o movimento de pessoas voltou a ser intenso na manhã de quarta-feira no Centro de Porto Alegre. Nem mesmo o tempo nublado e a possibilidade da ocorrência de chuva afastou o público das ruas dos Andradas, Doutor Flores e Voluntários da Pátria e da avenida Borges de Medeiros, que concentram a maioria das grandes lojas. Redes como a C&A, Americanas, Renner, Gaston, Paquetá, Casas Maria, Marisa, Riachuelo, Pernambucanas, Magazine Luiza e lojas Colombo abriram suas portas às 10h.
O ponto positivo é que as pessoas que estavam no Centro Histórico circulavam pela região usando máscara. Além disso, existe um respeito às marcações de distância, que varia entre um e dois metros dentro das lojas. Na rua dos Andradas, uma das mais tradicionais vias de comércio da Capital, um dos problemas segue sendo a presença de ambulantes, no trecho entre as ruas Uruguai e Marechal Floriano, que mesmo com o tempo instável marcaram presença. 
A retomada das atividades faz parte da determinação do decreto da prefeitura publicado na segunda-feira. Os estabelecimentos comerciais vão funcionar até sexta-feira desde que observadas todas as regras de segurança contra a Covid-19. As lojas de rua fecham às 17h e o número de funcionários fica limitado a 25% do total do estabelecimento. Na entrada das lojas, os funcionários observavam o uso da máscara e informavam sobre os locais com álcool em gel. Já a rua Voluntários da Pátria, entre a Praça Parobé, ao lado Mercado Público, segue com uma intensa movimentação de pessoas. Na manhã de quarta-feira, muita gente circulava em direção ao Centro Popular de Compras, o POP Center, localizado  na Voluntários da Pátria. No Largo Glênio Peres, onde são comercializadas frutas e verduras, os ambulantes estavam sem máscara. 
O presidente do Sindilojas, Paulo Kruse, elogiou a reabertura e afirmou que estava muito satisfeito que os estabelecimentos comerciais voltaram a funcionar. "Agora, vamos sentar e conversar para que as lojas permaneçam abertas por tempo indeterminado e, claro, com segurança para clientes, lojistas e funcionários", ressaltou. Conforme Kruse, a ideia dos lojistas é que o funcionamento na próxima semana seja estendido por mais dias pela prefeitura de Porto Alegre. "Adotamos todas as medidas de segurança para a abertura das lojas", destacou. Afirmou ainda que os dias estão difíceis e tristes porque já ocorreu o fechamento de 20% das lojas da Capital e mais de sete mil pessoas perderam seus empregos em função da crise do coronavírus.
O presidente da CDL POA, Irio Piva, disse que os três dias de abertura são uma conquista e sinaliza que o varejo está preparado para oferecer segurança aos clientes e funcionários. "Queremos voltar a trabalhar com toda a segurança", explicou. Piva informou que as entidades tentam uma reunião para hoje ou sexta-feira com o prefeito Nelson Marchezan Júnior para discutir o alinhamento dos decretos estadual e municipal. A intenção, segundo ele, é sensibilizar as autoridades para que os estabelecimentos comerciais com todas as regras de segurança possam abrir mais do que três dias.            

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário