domingo, 10 de novembro de 2019

Pesquisa: 56% discordam de decisão do STF que soltou ex-presidente Lula

Instituto Realtime Big Data entrevistou 1,2 mil pessoas entre sexta (8) e sábado (9); levantamento tem margem de erro de 4% e nível de confiança de 95%

Decisão do STF foi proferida na última quinta-feira

Decisão do STF foi proferida na última quinta-feira | Foto: Carlos Moura / STF / CP

PUBLICIDADE

O instituto Realtime Big Data divulgou nesta sábado (9) pesquisa encomendada pela TV Record na qual perguntou aos brasileiros suas opiniões sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) contra a prisão após a segunda instância e sobre a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com o levantamento, 56% se mostraram contra a mudança de interpretação sobre em que momento os réus do país podem ser presos. E 50% foram contra a liberdade do petista. A pesquisa entrevistou 1,2 mil pessoas entre sexta-feira (8) e este sábado (9). A margem de erro é de 4% e o nível de confiança é de 95%.

O instituto perguntou: "Você concorda com a decisão do STF de que alguém só pode ser preso após o trânsito em julgado do seu processo?" Dos 1.200 entrevistados, 56% discordaram, 28% concordaram e 18% preferiram não opinar. Quando questionados se concordavam com a saída de Lula da cadeia, 50% foram contra, 32% concordaram e 18% não opinaram.

Na quinta-feira (7), o STF mudou a interpretação jurídica sobre o momento em que os réus do país podem ser presos. O plenário do tribunal, por 6 votos a 5, decidiu que só começam a cumprir pena os condenados que não tiverem mais direito a qualquer tipo de recurso. Em 2016, o próprio Supremo havia autorizado a execução penal após a condenação em segunda instância.


R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário