quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Conexão Varejo: veja como realizar da melhor maneira o fluxo de caixa da sua empresa

Fluxo de caixa é um dos instrumentos mais importantes para qualquer empresa, pois ele mostra a capacidade de as organizações cumprirem suas obrigações financeiras, como salários, fornecedores e impostos. Apesar disso, nem todas realizam. Conforme Andrew Carvalho Pinto, consultor financeiro e professor dos cursos do Sindilojas Porto Alegre, prejuízo não quebra as empresas no curto prazo, mas insuficiência de caixa sim, e o fluxo de caixa é uma ótima ferramenta para medir essa liquidez. Confira dicas do especialista sobre o tema:

Lance corretamente
O controle serve para prever receitas e despesas. Aqui é importante distinguir “competência” – quando a operação acontece – e “caixa” – quando entram ou saem os recursos. Na prática, só se deve lançar no fluxo os valores quando eles efetivamente entram ou saem do caixa. Em vendas parceladas, lance cada parcela no mês correspondente. E antecipe-se fazendo previsões de saídas, lançando os boletos que já chegaram na data em que serão pagos. O fluxo prepara para o futuro:
melhor saber com 30 dias de antecedência que uma conta alta vai vencer do que com dois.

Otimista, mas nem tanto
O otimismo é essencial para o varejo, pois ele garante a motivação para vender. Mas no fluxo de caixa ele pode ser uma armadilha que leva a previsões erradas, como minimização das despesas e expectativas irreais de receita. “Com a previsão certa, o fluxo também ajuda a prever resultados, como déficits ou superávits, permitindo um planejamento de todas as atividades que tenham impacto sobre a geração de caixa, das compras à política de vendas”, afirma Andrew.
Trabalho coletivo
Fluxo de caixa não serve para determinar lucro ou prejuízo – isso só pode ser apurado ao fim de determinado período e com outras ferramentas –, mas para fazer a gestão do disponível. Por isso, é uma tarefa coletiva, e não somente do Financeiro. Um fluxo correto depende do envio das previsões de entradas e saídas por todas as áreas da empresa. Quando o fluxo não é abastecido adequadamente, perde o seu propósito ou passa a mostrar resultados falsos.

“A atividade de planejamento financeiro é como a decisão de praticar um exercício físico: exige disposição, há muitos pretextos para não fazer, mas quem segue firme conquista ótimos resultados.”
_Andrew Carvalho Pinto

Gostou desse conteúdo? Ele está disponível na revista do Sindilojas Porto Alegre, a Conexão Varejo. Para conferir a publicação completa, clique aqui.

Sindilojas Porto Alegre

Nenhum comentário:

Postar um comentário