terça-feira, 5 de julho de 2022

PGR quer ouvir ex-presidentes da Petrobras e do BB para saber se Bolsonaro interferiu

 Diligências são baseadas em declarações de Roberto Castelo Branco, que disse ter trocado mensagens com o chefe do Executivo



Procuradoria-Geral da República (PGR) quer ouvir o ex-presidente da Petrobras, Roberto Castelo Branco, e o do Banco do Brasil, Rubem Novaes, sobre eventual interferência do presidente Jair Bolsonaro (PL) nas estatais. De acordo com a PGR, as oitivas são importantes para trazer elementos para avaliar o teor das acusações.

Roberto Castelo Branco afirmou em entrevista que teria, no celular funcional, entregue à Petrobras quando ele saiu do cargo, diálogos que incriminariam o presidente. A intenção seria interferir nos preços aplicados sobre o combustível para obter aceitação eleitoral.

De acordo com a PGR, os elementos enviados à instituição até o momento não são suficientes para caracterizar o crime. Por conta disso, são necessárias mais diligências relacionadas ao caso.

O documento é assinado pela vice-procuradora-geral da república, Lindôra Araújo. "Os elementos apresentados até o presente momento não comportam convicção ministerial suficiente para a instauração da investigação pleiteada. Todavia, o diálogo mantido e de teor não negado pelos interlocutores suscita maiores esclarecimentos que podem nortear providências investigativas não açodadas ou temerárias", escreveu. O pedido foi encaminhado ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso. 

R7 e Correio do Povo


Identificadas as sete vítimas de acidente em Constantina


Dilema do MDB na eleição do RS será decidido no voto


Porto Alegre amplia para pessoas com 40 anos a aplicação da segunda dose de reforço da Covid-19

Nenhum comentário:

Postar um comentário