quinta-feira, 16 de junho de 2022

Deputados batem boca durante audiência com ministro da Justiça

 Vice-líder do governo, José Medeiros (PL-MT) interrompeu fala de deputada e gerou confusão; parlamentares trocaram ofensas



Durante uma audiência pública nesta quarta-feira (15) na Câmara dos Deputados com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, parlamentares da base do governo e da oposição promoveram uma confusão generalizada e trocaram ofensas com xingamentos.

Torres tinha sido convocado pela Câmara para prestar esclarecimentos sobre a morte de Genivaldo de Jesus Santos, asfixiado com spray de pimenta e gás lacrimogêneo por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) dentro de uma viatura, em Sergipe, no fim de maio.

A convocação, contudo, foi cancelada na terça-feira (14) pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e a sessão para ouvir Torres foi transformada em uma audiência pública. Alguns deputados, portanto, entenderam que o ministro não deveria tratar apenas da morte de Genivaldo.

Logo nos primeiros minutos da sessão, ao dirigir questionamentos a Torres, a deputada Talíria Petrone (Psol-RJ) fez comentários sobre o caso envolvendo Genivaldo, mas também ponderou o ministro sobre o desaparecimento do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, além de uma recente operação policial do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) na Vila Cruzeiro, na Zona Norte do Rio de Janeiro, feita em conjunto com a PRF e a Polícia Federal, que terminou com a morte de 23 pessoas.

Antes que a parlamentar concluísse o seu discurso, o vice-líder do governo na Câmara, José Medeiros (PL-MT), interrompeu a fala da deputada, dizendo que ela não poderia questionar Torres sobre outros assuntos que não a morte de Genivaldo. A atitude de Medeiros irritou outros deputados, que iniciaram uma discussão generalizada.

Um dos parlamentares que tentou defender Talíria foi Paulo Teixeira (PT-SP). Medeiros se desentendeu com o deputado e ameaçou agredir o petista. Ele chegou a avançar para cima do colega de Câmara e apontar o dedo na cara de Teixeira, mas foi contido por outros deputados.

A audiência pública com Torres aconteceu no plenário da Comissão de Direitos Humanos. Presidente do colegiado, Orlando Silva (PCdoB-SP) reprovou o comportamento de Medeiros e discutiu com o deputado. 

"Deputado, vossa excelência está exagerando. Vossa excelência está se excedendo. Vossa excelência está ferindo o regimento. Vossa excelência está, inclusive, quebrando o decoro ao não respeitar os seus colegas. Vossa excelência se aquiete, porque a reunião vai continuar", ponderou Silva.

Medeiros passou, então, a debater com o presidente da comissão, que subiu o tom. "Deputado, respeite o seu colega da base do governo, que não está aqui para assistir à essa cena. Respeite a deputada Talíria. Vossa excelência não pode falar nada do que vossa excelência falou para ela agora. Respeite a deputada Talíria. Respeite-se, rapaz. Tenha postura de deputado", esbravejou Silva.

O bate-boca durou pouco mais de cinco minutos. Após o tumulto, a sessão seguiu sem novas confusões.

R7 e Correio do Povo


Botafogo tem interesse na contratação de Ferreira, do Grêmio

Nenhum comentário:

Postar um comentário